Procura por ações da Vale é tímida, afirmam corretoras

A turbulência recente dos mercados eas condições da oferta pública de ações da Vale patrocinaramuma procura tímida de investidores de varejo pelos papéis damineradora. Até o início da tarde desta terça-feira, último dia para osinteressados em participar da operação se manifestarem,profissionais de corretoras de valores diziam que a demanda erapequena, mesmo se tratando de uma das blue chips da Bolsa deValores de São Paulo. "Há um quadro de incertezas no mercado de ações que muitosinvestidores não querem enfrentar agora", afirmou um operadorde um grande corretora paulista, que preferiu não seidentificar. O momento adverso do mercado acionário é o principalmotivo. Desde 6 de junho, antes de circularem rumores de que acompanhia preparava uma megacaptação, as ações preferenciais daVale já caíram 15 por cento, enquanto as ordinárias foram aindamais longe, perdendo 19 por cento. Operadores dizem que a queda, superior aos 12 por cento doIbovespa no mesmo período, é explicada pelas incertezas sobre oque a Vale fará com a oferta anunciada no dia 10 de junho, coma pretensão de captar até 15 bilhões de dólares. "Se for para comprar uma grande empresa, como a Xstrata, osrecursos da oferta não serão suficientes. Ela poderá ter que seendividar, o que não é positivo", disse o diretor de outracorretora, também com sede em São Paulo. No mês passado, a companhia informou que não negociavanenhuma aquisição, embora tenha afirmado por meio de seupresidente, Roger Agnelli, estar sempre avaliandooportunidades. Outro fator que, segundo operadores, tem desmotivado aprocura no varejo é o direito de preferência reservado aosatuais acionistas da companhia, para que estes não tenhamdiluída sua participação com o aumento de capital. Caso todos os acionistas exerçam sua prioridade para asubscrição de ações, não restará nada para o mercado, exceto sehouver a emissão de um lote adicional, segundo profissionais domercado. O acionista controlador, a Valepar, manifestou intenção desubscrever ações na oferta prioritária. Por fim, observaram os profissionais de corretoras, com ummomento tão conturbado do mercado, os investidores que queremter ações da companhia estão preferindo fazê-lo por meio decompras diretas no mercado à vista. "A preferência agora é por liquidez imediata", disse umoperador. Na oferta pública, quem comprar ações da Vale pode secomprometer com um preço mais alto que o praticado no mercadono momento da liquidação do negócio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.