Produção comercial em Tupi começa no fim do mês

O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, afirmou hoje que a produção comercial de gás do campo de Tupi deve começar entre janeiro e fevereiro de 2011. A produção de petróleo terá início antes, já neste mês, entre os dias 26 e 29. A previsão da companhia, divulgada anteriormente, é de que o piloto de Tupi produza diariamente 100 mil barris de óleo e 5 milhões de metros cúbicos de gás natural quando atingir a plena capacidade. Gabrielli participou hoje da Santos Offshore Oil & Gas Expo, em Santos (SP).

ANDRÉ MAGNABOSCO, Agencia Estado

19 de outubro de 2010 | 18h20

A antecipação da produção de óleo em Tupi não tem relação com a corrida eleitoral, segundo Gabrielli. "O equipamento (unidade de produção) chegou somente em 22 de setembro. Se houvesse uma questão eleitoral, o cronograma seria antecipado ainda mais", disse o executivo.

Mexilhão

O atraso no processo de perfuração de rochas na costa do litoral paulista obrigou a Petrobras a revisar o cronograma para início das operações no campo de Mexilhão. Segundo Gabrielli, a produção no local (de 15 milhões de metros cúbicos de gás por dia) deverá ter início somente no primeiro trimestre de 2011. O cronograma inicial indicava que a produção seria iniciada no terceiro trimestre de 2010. "Minha vontade é que a produção seja iniciada em janeiro, mas o cronograma prevê o prazo do primeiro trimestre", afirmou Gabrielli, em entrevista após palestra na abertura da Santos Offshore Oil & Gas Expo.

Segundo o gerente-geral da Unidade de Negócio de Exploração e Produção da Bacia de Santos, José Luiz Marcusso, a estrutura no mar já está equalizada. "A plataforma de Mexilhão já está mecanicamente completa", disse. A barreira, portanto, seria apenas a conclusão do túnel e do duto que levará o insumo para Taubaté (SP).

Para viabilizar o projeto, a Petrobras conta ainda com o início das operações da unidade de tratamento de gás de Caraguatatuba (SP), que receberá o gás de Mexilhão e também da Bacia de Tupi - ambos com início de fornecimento previsto para os primeiros meses de 2011. Após a conclusão dos projetos na região, a capacidade de produção de gás natural da Bacia de Santos deverá saltar dos atuais 2,5 milhões de toneladas para mais de 20 milhões de metros cúbicos diários, conforme informado pela companhia anteriormente. A unidade de tratamento terá capacidade para receber até 18 milhões de metros cúbicos diários de gás natural.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleogásPetrobrasTupi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.