Produção de aço cai 4% em julho no Brasil, venda fica estável

A produção brasileira de aço bruto em julho caiu 4,1 por cento sobre o mesmo período do ano passado, pressionada por quedas de dois dígitos em produtos semi-acabados. Apesar disso, a atividade mostrou a primeira alta na comparação mensal desde março, segundo dados divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Aço Brasil.

Reuters

17 de agosto de 2012 | 12h16

A produção no mês passado somou 3,001 milhões de toneladas, crescimento de 9,2 por cento sobre o volume de junho, que havia sido até agora o pior mês desde dezembro de 2011.

O destaque ficou com o desempenho da produção de laminados planos, usados em bens como automóveis e máquinas e equipamentos, que saltou 22 por cento sobre julho do ano passado, para 1,32 milhão de toneladas.

O salto ocorreu em meio ao recorde de vendas de veículos para o mês de julho. No início deste mês, a associação de montadoras, Anfavea, estimou que agosto será marcado por vendas e produção recordes, apoiadas em redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), que vence no fim do mês.

Na comparação mensal, a produção de laminados planos registrou leve incremento de 1,5 por cento.

Apesar do crescimento mensal na produção de aço bruto em julho, as siderúrgicas do país acumulam queda de 2,6 por cento no volume produzido desde janeiro em relação aos sete primeiros meses de 2011, a 20,4 milhões de toneladas, segundo o IABr.

O primeiro semestre foi marcado por um dos piores desempenhos do setor em vários anos, diante da estagnação da atividade industrial do país na primeira metade do ano. Apesar disso, a expectativa do IABr é de retomada da atividade no segundo semestre, o que ajudará o setor a encerrar 2012 com crescimento de 2,2 por cento na produção, para 36 milhões de toneladas.

Segundo o instituto, em julho, as vendas internas das siderúrgicas do país ficaram estáveis sobre o mesmo mês de 2011, em 1,778 milhão de toneladas, o nível mais baixo desde fevereiro, quando somaram 1,702 milhão de toneladas. Na comparação com junho, as vendas recuaram 7,7 por cento.

Enquanto isso, as importações brasileiras de aço também recuaram em julho, para 337 mil toneladas, 15,5 por cento menos que um ano antes e 4,8 por cento abaixo do volume trazido do exterior em junho.

O setor registrou exportações de 724 mil toneladas de aço em julho, quedas de 19,5 por cento sobre o ano anterior e de 8,6 por cento na comparação com junho.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Tudo o que sabemos sobre:
SIDERURGIAIABRJULHO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.