Produção de aço do Japão no 2o tri pode seguir fraca--associação

A produção de aço do Japão pode permanecer em níveis mínimos no trimestre de abril a junho, antes do mercado começar a se recuperar por volta de julho, afirmou o presidente de uma associação da indústria siderúrgica do país, nesta quarta-feira.

REUTERS

25 de março de 2009 | 08h37

Assim como seus concorrentes globais, as siderúrgicas japonesas têm enfrentado uma queda acentuada na demanda, conforme o crédito apertado reprime a demanda por carros, maquinários de construção e outros produtos que utilizam aço.

A Nippon Steel, líder da indústria, reduziu sua produção em 40 por cento no primeiro trimestre deste ano (janeiro a março) frente ao mesmo período do ano passado, para lidar com o declínio econômico.

"As condições de mercado estão severas no momento, e a demanda real está mais fraca do que nossas expectativas iniciais", disse Shoji Muneoka, presidente da Federação de Ferro e Aço do Japão, durante uma coletiva de imprensa.

Ele acrescentou que a produção de aço bruto deve ficar em cerca de 18 milhões de toneladas entre janeiro e março, abaixo dos planos da indústria anunciados em janeiro, de 19,26 milhões de toneladas.

"A produção pode permanecer neste nível entre abril e junho no pior dos casos", afirmou Muneoka, que também é presidente da Nippon Steel.

A Nippon Steel decidirá sobre seus planos de produção para o próximo trimestre em meados de abril, segundo ele.

Montadoras completarão o ajuste dos estoques até junho, o que é um fator favorável para as siderúrgicas, afirmou.

Fabricantes de eletrodomésticos e de componente eletrônicos já reduziram estoques para níveis adequados, completou o representante.

No entanto, Muneoka afirmou que uma forte recuperação da demanda após julho é improvável.

Tudo o que sabemos sobre:
SIDERURGIAJAPAOACO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.