Produção de minério da Vale deve continuar forte em 2011

Companhia informou que a produção de minério de ferro totalizou 82,6 milhões de toneladas no terceiro trimestre, a melhor performance desde o terceiro trimestre de 2008

Luciana Xavier, da Agência Estado,

18 de outubro de 2010 | 16h18

O presidente da Vale, Roger Agnelli, disse há pouco que a Vale está operando com alto nível de produtividade e eficiência e que especificamente a produção de minério de ferro deve continuar forte em 2011. "Estamos no melhor momento da história", afirmou a jornalistas, após encontro com cerca de 100 investidores estrangeiros na New York Stock Exchange (Nyse). As ações da Vale completam este ano 10 anos.

A Vale informou hoje que a produção de minério de ferro totalizou 82,6 milhões de toneladas no terceiro trimestre de 2010 - a melhor performance desde o recorde de 85,8 milhões de toneladas registrado no terceiro trimestre de 2008. O número representa um aumento de 8,9% em relação ao segundo trimestre de 2010 e de 23,7% ante igual período do ano passado. "Estamos em posição muito forte financeira e operacionalmente", afirmou o executivo. Segundo Agnelli, a companhia pretende entregar todos os projetos atualmente em andamento até 2015.

Vendas à Ásia

Agnelli afirmou que a economia brasileira está indo muito bem e que a companhia conta com a continuidade do crescimento dos emergentes, especialmente a Ásia para manter forte a demanda da mineradora. Segundo ele, as vendas para a Ásia devem passar de ao redor de 52% hoje para cerca de 80% nos próximos cinco anos. "Acordo todos os dias e rezo para a China continuar a crescer", brincou Agnelli, após encontro com cerca de 100 investidores estrangeiros na New York Stock Exchange (Nyse), onde a empresa celebra 10 anos de negociação com seus papéis também na bolsa norte-americana.

Além da Ásia, a Vale está também atenta às perspectivas na África. "A África está se desenvolvendo e deve se tornar muito grande em 10, 15 anos", acrescentou Agnelli. 

Tudo o que sabemos sobre:
ValeAgnelliindústriaminério

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.