Produção de petróleo da Petrobras cresce 1,1% em agosto

A produção de petróleo (óleo, mais líquido de gás natural - LGN) de todos os campos da Petrobras no Brasil, em agosto, atingiu a média de 1,908 milhão de barris por dia (bpd), informou nesta segunda-feira, 30, a companhia. Esse volume é 1,1% acima da média produzida em julho (1,888 milhão bpd).

AE, Agencia Estado

30 de setembro de 2013 | 18h45

A produção total (petróleo e gás natural) da Petrobras no País, em agosto, atingiu a média de 2,294 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boe/d), volume 0,5% acima do produzido em julho. Incluída a parcela operada pela Petrobras para empresas parceiras, o volume total produzido em agosto foi de 2,401 milhões boe/d, 0,6% acima da produção de julho.

Somado à produção da empresa no exterior, o volume total de petróleo e gás natural atingiu, em agosto, a média de 2,499 mil boe/d 0,3% acima da produção total de julho.

A produção exclusiva de petróleo no Brasil, incluída a parcela em que a Petrobras atua com empresas parceiras, chegou a 1,971 mil bpd, indicando um aumento de 1,3% em relação a julho.

"Esse resultado positivo deve-se ao retorno à operação de plataformas que estavam com paradas programadas em julho (P-40 em Marlim Sul, P-20 em Marlim, PPM-1 em Pampo e FPSO-RJ em Espadarte) e à entrada em produção de poços nas plataformas P-54 e FPSO-Piranema", informou a estatal, em comunicado.

Seguindo o cronograma, no mês de agosto as plataformas P-26 e P-35, ambas operando no campo de Marlim, na Bacia de Campos, interromperam sua produção para atender ao programa de paradas programadas para manutenção.

Encontram-se em fase de conclusão os trabalhos de conexão da plataforma P-63, primeira unidade de produção do campo de Papa-Terra, às linhas de ancoragem. Essa plataforma começará a operar no dia 23 de outubro.

As obras da plataforma P-55 foram concluídas e, em 17 de setembro, iniciados os testes de inclinação. Após essa etapa, e na primeira semana de outubro, ela deverá iniciar a navegação para o campo de Roncador, na Bacia de Campos.

A produção de gás natural - sem liquefeito - dos campos da companhia no Brasil, em agosto, foi de 61,378 milhões de metros cúbicos por dia. A produção total de gás, incluída a parte operada pela empresa para seus parceiros, foi de 68,336 milhões de metros cúbicos por dia, mantendo, aproximadamente, os mesmos níveis dos volumes produzidos em julho.

Os dados de produção apresentados pela empresa reforçam sua política de reduzir operação no exterior para concentrar esforços em sua atuação nos campos nacionais. A produção total de petróleo e gás natural no exterior, em agosto, caiu 1,4% em relação a julho, ficando em 205.698 boe/d. A estatl atribuiu a queda ao ajuste na contabilização de óleo do campo de Akpo, na Nigéria.

Desse total, a produção de gás natural chegou a 15,842 milhões de metros cúbicos/dia, 1,4% acima do volume produzido no mês anterior, decorrente da maior produção em três poços do campo Rio Neuquém, na Argentina. A produção de petróleo foi de 112.453 barris diários, 3,6% abaixo na comparação com o mês de julho, também consequência do ajuste na contabilização da produção de Akpo.

Mais conteúdo sobre:
petróleoPetrobrasagosto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.