Produção de petróleo e gás na Líbia pode voltar em novembro

Segundo a companhia italiana Eni, estragos da guerra civil foram limitados

Gabriel Bueno, da Agência Estado,

24 de outubro de 2011 | 14h30

O grande poço de petróleo e gás Elefante, na Líbia, pode ter sua produção retomada já em um mês, pois os estragos no local foram limitados, disse nesta segunda-feira, 24, um alto executivo da Eni, companhia italiana que explora esse poço em uma joint venture.

A retomada da produção no poço Elefante, que representa 25% da produção de petróleo e gás da Eni na Líbia, ocorre no momento em que a produção do país do norte africano parece se acelerar, após a morte de Muamar Kadafi.

Em entrevista, Mohamed Jamaleddin, membro do comitê de gerenciamento da joint venture Mellitah, informou que a produção poderia recomeçar "talvez em um mês - é possível". Segundo ele, não houve "nenhum grande estrago" no campo, localizado no desértico sul líbio.

Os alojamentos e algumas peças de reposição sofreram saques. Mas a operação não foi reiniciada em grande parte por causa da necessidade de checagens técnicas e também porque é preciso aguardar o reinício do suprimento de energia elétrica no campo, disse o executivo.

Os gerentes da Mellitah haviam se recusado a dar qualquer estimativa para o reinício da produção no campo, próximo de Sabha, uma base de Kadafi que caiu apenas em meados de setembro.

Jamaleddin também disse que o campo Bahr Essalam, cujo reinício significará a retomada de grandes exportações de gás natural líbio à Itália, pode produzir novamente "no início de novembro, pensamos". O fornecimento de energia para esse local já foi retomado. A previsão é melhor que as anteriores, que citavam o reinício para o final de novembro.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
produçãopetróleolíbiagáseni

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.