Produção e venda de veículos caem em abril, aponta Anfavea

Unidades comercializadas têm queda de 13,7% na comparação com março; produção do setor cai 6,9% no mês

Reuters e Agência Estado,

08 de maio de 2009 | 13h40

As vendas e a produção de veículos diminuíram em abril, depois de um salto no mês anterior liderado por uma corrida dos consumidores às lojas antes do fim da primeira redução do IPI. A produção de veículos no Brasil caiu 6,9% em abril sobre março, para 254,7 unidades, acumulando no ano queda de 16,4%, a 916,2 mil unidades, informou nesta segunda-feira a associação de montadoras Anfavea. Em relação a abril de 2008, a produção foi 15,8% menor.

 

Veja também:

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise 

 

As vendas recuaram 13,7% na comparação mensal - a primeira queda do ano - e 10,3% na anual, para 234,4 mil unidades. Nos quatro primeiros meses do ano, houve uma queda de 0,7 de%. O governo reduziu o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) de automóveis nos três primeiros meses do ano e no fim de março anunciou a prorrogação da decisão por mais um trimestre.

 

Segundo a Anfavea, a redução das vendas foi provocada pela antecipação das compras em março, quando o mercado esperava a extinção do corte do IPI. A redução do número de dias úteis (de 22 dias em março para 20 dias em abril) também teve um impacto negativo sobre as vendas, segundo o presidente da entidade, Jackson Schneider.

 

As exportações do setor subiram 5,8% sobre março, mas despencaram 45,9% contra o ano passado, para 36,4 mil unidades. Em valor, as vendas externas caíram 7,4% mês a mês e 54,5% ano a ano, totalizando 559,4 milhões de dólares.

 

Emprego

 

O emprego no setor automotivo caiu 1,1% em abril ante março e 4,1% na comparação anual, para 120,8 mil trabalhadores. Na comparação com abril do ano passado, as demissões se concentraram no segmento de máquinas agrícolas, que tiveram o número de empregados reduzido em 13,4%, passando de 17.040 empregados para 14.753 vagas, enquanto o restante do setor automotivo teve uma redução de 2,6% no período, caindo para 106.001 empregados.

 

Na comparação com março, o segmento de máquinas agrícolas teve uma redução de 3,6% e os autoveículos tiveram retração de 0,7%.

 

A Anfavea previu no mês passado que as vendas devem ter neste ano a primeira queda desde 2003, de 3,9% para 2,710 milhões de unidades. O prognóstico para a produção é de declínio de 11,2%, a 2,860 milhões de veículos, que seria o primeiro desde 2002.

 

Montadoras

 

Por montadoras, a Fiat liderou as vendas de abril, com 58.226 veículos, uma queda de 9,7% sobre março. Em segundo lugar apareceu a Volkswagen, com 52.821 veículos (-17,9%). A General Motors registrou vendas 17,8% menores, a 40.619 unidades, e a Ford, com 24.122 veículos, teve queda de 14,8% nas vendas.

 

Matéria atualizada às 16h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.