Produtores de trigo do RS protestam contra preços baixos do grão

Porto Alegre, 21 - Centenas de produtores de trigo participaram hoje à tarde de um ato público em Ijuí, no noroeste gaúcho, para criticar os baixos preços do cereal. A Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetag) do Rio Grande do Sul, que organizou o ato, informou que pedirá uma audiência em Brasília na próxima semana, junto com cooperativas e entidades rurais do Estado, para apresentar a situação ao ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, e discutir alternativas. Embora o governo já tenha lançado mecanismos de comercialização para o trigo, a Fetag avalia que eles precisam ser ampliados. Nas Aquisições do Governo Federal (AGFs), que começaram na semana passada no Estado, as cooperativas avaliam que há dificuldades operacionais para atingir o objetivo de negociar 100 mil toneladas nesta modalidade. Nos contratos de opção, que tiveram hoje o primeiro leilão, há necessidade de mais lotes, calculou o vice-presidente da Fetag, Sérgio de Miranda, sem indicar um volume. A frustração com o trigo motivou o ato público de hoje, mas a situação de outras culturas deve ser levada também à Brasília, disse o dirigente. A Fetag traça um cenário pessimista, que considera a queda nos preços de soja, milho e trigo, além da redução de R$ 0,08 no preço do litro de leite ao produtor nos últimos três meses, em um ano de redução da oferta. A saca de trigo esteve cotada, em média, em R$ 20,60 na semana passada, segundo levantamento da Emater. O preço representa queda de 3,42% em relação à semana anterior e de quase 20% ante o ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.