Projeto de Boehner para dívida dos EUA será votado hoje

Líderes republicanos planejam fazer uma emenda para tentar obter apoio da ala mais conservadora do partido, que se opõe ao plano original

Álvaro Campos, da Agência Estado,

29 de julho de 2011 | 13h59

Líderes republicanos planejam fazer uma emenda ao projeto do presidente da Câmara, John Boehner, para a elevação do limite de endividamento dos EUA e colocá-lo em votação nesta sexta-feira, 29.

A maior mudança no projeto é a exigência que as duas Casas do Congresso aprovem uma emenda constitucional determinando que o governo federal equilibre seu orçamento antes de um novo aumento no teto da dívida, atualmente em US$ 14,29 trilhões.

A proposta é uma tentativa de obter apoio da ala mais conservadora do Partido Republicano, que se opõe ao projeto de Boehner, de elevar o teto da dívida e reduzir o déficit do país em US$ 917 bilhões. Com a mudança, o líder da maioria republicana na Câmara, Eric Cantor, disse que o projeto agora tem os votos suficientes para ser aprovado.

Para ser aprovado na Câmara, o projeto Boehner precisa de 216 votos. Como os democratas devem votar em bloco contra a proposta, a proposta precisa conseguir o apoio da bancada republicana na Câmara, que tem 240 cadeiras. Ou seja, Boehner pode perder os votos de no máximo 24 republicanos.

Na noite de ontem, pelos menos 20 deputados do partido haviam dito que se oporiam ao projeto. A nova proposta parece ter convencido parte deles. O deputado Jeff Flake disse que gostou da mudança e agora votará a favor do projeto. Já Tim Scott disse que está repensando sua posição. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.