Proposta da Petrobras por refinaria em Aruba fica para junho

O atraso na retomada da produçãode uma refinaria da Valero Energy, em Aruba, adiou para junho adecisão de compra da unidade pela Petrobras, informou o diretorde Abastecimento da estatal, Paulo Roberto Costa. Ele estimou que no final do mês deve receber um relatóriocompleto sobre as condições da refinaria --que sofreu umincêndio no início do ano-- o que dará mais condições deavaliar o negócio. "Num período de 10 a 15 dias, uma equipe técnica vai nosemitir um parecer, avaliando as condições da unidade", disseCosta a jornalistas durante evento sobre patrocínio esportivonesta segunda-feira. Após o relatório, a proposta de compra da unidade seráapresentada na próxima reunião do Conselho de Administração daPetrobras, prevista para junho. "Na última reunião já discutimos esta possibilidade, masnada pôde ser fechado por conta do atraso na retomada doprocessamento de óleo na refinaria", informou o diretor. A refinaria tem capacidade para processar 250 mil barrisdiários de petróleo. Costa disse que além da unidade em Aruba a estatal continuabuscando oportunidades nos Estados Unidos, Europa e Ásia, alémde manter planos de aumentar a capacidade de refino no Brasil,a fim de atender o aumento da demanda doméstica. No final do ano passado, a estatal adquiriu uma refinariano Japão, com produção de 100 mil barris por dia, e deu opontapé inicial para a construção da refinaria de Pernambuco,em parceria com a estatal venezuelana PDVSA, que terácapacidade para processar 200 mil barris diários. Uma segunda refinaria, com foco em produtos de altaqualidade e com capacidade para 500 mil barris diários,anunciada por Costa em julho de 2006 como a refinaria Premiumda empresa, também deverá sair do papel até 2014. Segundo o diretor, ainda não foi decidida a localização daunidade, apesar de o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão,ter anunciado na semana passada que a refinaria Premium seriainstalada no Maranhão, Estado natal do ministro. "Todo projeto que a Petrobras realiza tem uma série dedetalhes. Para todo investimento deste porte são avaliadasvárias localizações. E isso ainda não foi fechado", afirmou. Ele não quis comentar o fato de o ministro também teranunciado uma terceira refinaria, de cerca de 200 mil barrisdiários. "Agora estamos envolvidos com a elaboração deste projeto(Premium). Qualquer outro será pensado posteriormente a estadecisão sobre a localização e o porte desta unidade",concluiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.