Próximos meses serão cruciais para o governo do Japão, diz Moody´s

Agência está preocupada com a capacidade do governo de reter a confiança do mercado para que os custos dos empréstimos, atualmente em níveis baixos, não aumentem

Danielle Chaves, da Agência Estado,

27 de janeiro de 2011 | 08h09

Os próximos meses serão cruciais para a capacidade de o governo do Japão manter sua estabilidade de financiamentos, com o impasse político como uma preocupação, já que pode dificultar a meta de Tóquio de reduzir a enorme dívida pública do país. O comentário foi feito por Thomas Byrne, analista da Moody's Investors Service para Ásia e Oriente Médio.

Embora a Moody's mantenha o rating Aa2, com perspectiva estável, para a dívida soberana do Japão, a agência está preocupada com a capacidade do governo de reter a confiança do mercado para que os custos dos empréstimos, atualmente em níveis baixos, não aumentem.

"O período crucial será nos próximos meses, para ver se o governista Partido Democrático do Japão e o primeiro-ministro Naoto Kan poderão fazer progresso com as reformas dos sistemas de aposentadoria e de impostos que propuseram", comentou Byrne. As afirmações foram feitas após a Standard & Poor's rebaixar o rating de dívida soberana do Japão de AA para AA-. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.