PT vende fatia na Vivo e fecha acordo com Oi

A Portugal Telecom (PT) confirmou hoje que vai vender sua fatia na brasileira Vivo Participações para a espanhola Telefónica, por 7,5 bilhões de euros, e usar parte dos recursos para comprar uma fatia de 22,4% da Oi, também brasileira. Após meses de discussões entre as duas companhias europeias, a PT informou em comunicado enviado ao órgão regulador do mercado português que receberá o pagamento da Telefónica em três partes, a última delas em outubro de 2011. A PT vai comprar a fatia de 22,4% na Oi por até 3,7 bilhões de euros.

AE, Agencia Estado

28 de julho de 2010 | 10h40

O Brasil é um mercado importante tanto para a PT quanto para a Telefónica, já que ambas enfrentam declínio na receita em seus mercados domésticos e sofrem com o prolongado impacto de uma severa recessão.

Fontes que acompanham a operação disseram que a Telefónica fechou um acordo com bancos para obter um empréstimo de 8 bilhões de euros, parte do qual será utilizada para financiar a aquisição da participação da PT na Vivo. Cerca de 10 bilhões de euros foram oferecidos pelos bancos para o financiamento que está sendo coordenado pelo Citigroup, segundo uma das fontes.

Oi

Por sua vez, a Oi (Telemar Participações) informou que fechou com a PT um acordo de intenções para determinar as bases e os princípios que fundamentarão a negociação de uma eventual aliança entre as duas empresas. Segundo fato relevante divulgado hoje, para fortalecer a estrutura de capital das empresas, a aliança envolverá a participação direta e indireta da PT na TMAR, "em bases totalmente diluídas", de cerca de 22,4%, e um pagamento máximo de cerca de R$ 8,44 bilhões, sem resultar na transferência do controle das companhias.

O acordo também deverá resultar na aquisição, pela TMAR, de uma participação na PT de até 10%, através de uma operação privada ou de uma oferta pública. A PT vai adquirir participações societárias diretas na TmarPart no porcentual de 10% do seu capital social. O acordo prevê ainda o aumento de capital social da TmarPart, no valor de até R$ 4,24 bilhões, que será subscrito pela PT e por outros acionistas da TmarPart, mantendo a PT a participação de 10% na TmarPart. Além disso, a PT vai adquirir participação societária minoritária no capital da AG Telecom Participações e da LF Tel.

Aumentos de capital

O acordo compreende ainda uma proposta de aumento de capital na Tele Norte Leste (TNL) no valor de cerca de R$ 12 bilhões, com a emissão de ações ordinárias e ações preferenciais, ao preço de R$ 38,5462 por ação ordinária e R$ 28,2634 por ação preferencial, definidos conforme a cotação das ações nos pregões da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) nos 60 dias anteriores à presente data, a ser subscrito pela TmarPart e demais acionistas da TNL que exercerem seu direito de preferência.

Também está previsto o aumento de capital na TMAR no valor de aproximadamente R$ 12 bilhões, com a emissão de ações ordinárias e ações preferenciais, ao preço de R$ 63,7038 por ação ordinária e R$ 50,7010 por ação preferencial, definidos conforme a cotação das ações nos pregões da Bovespa nos 60 dias anteriores à presente data, a ser subscrito pela TNL e demais acionistas da TMAR que exercerem seu direito de preferência.

A Portugal Telecom subscreverá ações dos aumentos de capital indicados até o montante de R$ 3,733 bilhões, conforme as disponibilidades de sobras e eventuais cessões de direito de preferência que ocorrerem na TNL e na TMAR. Os aumentos de capital terão como objetivos principais o fortalecimento da TMAR e a redução de sua dívida líquida. Com informações da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.