Queda da prévia do PIB na comparação anual é a 1ª desde setembro de 2009

Índice de Atividade Econômica do Banco Central registrou ligeiro recuo na comparação com abril de 2011, de 0,02%

Fernando Nakagawa, da Agência Estado,

15 de junho de 2012 | 08h51

BRASÍLIA - A atividade econômica no Brasil amargou em abril a primeira contração na comparação anual desde setembro de 2009. Dados apresentados nesta sexta-feira pelo Banco Central mostram que o Índice de Atividade Econômica da casa (IBC-Br) caiu 0,02% em abril na comparação com igual mês do ano passado. O índice é considerado uma prévia do Produto Interno Bruto (PIB). 

Segundo a série histórica do IBC-Br, a contração anual registrada na série sem ajuste é o pior desempenho desde setembro de 2009, quando o índice havia caído 1,79% na comparação com igual mês de 2008 - exatamente quando o banco Lehman Brothers fechou as portas e deflagrou a crise passada.

Ano anterior

O ligeiro recuo do IBC-Br de 0,02% em abril na comparação com igual mês de 2011, na série sem ajustes sazonais, ficou próximo à mediana das estimativas coletadas pelo AE Projeções, que apontavam para contração de 0,10%. Entre as 23 instituições que responderam ao levantamento da Agência Estado, a previsão para o desempenho de abril na comparação anual ficou entre um crescimento de 0,80% a uma contração de 0,50%. 

Com essa oscilação registrada, o indicador passou de 143,89 pontos em abril de 2011 para 143,86 pontos em igual mês de 2012. 

A pesquisa mostra, ainda, que o IBC-Br relativo ao trimestre móvel - entre os meses de fevereiro e abril - sinaliza crescimento de 0,15% na comparação com o período anterior - entre novembro de 2011 e janeiro de 2012.

Recuperação irregular

Além de mostrar contração na comparação anual, o levantamento do BC aponta que a recuperação da atividade doméstica tem acontecido de maneira irregular. Nos quatro meses de 2012, dois apresentaram expansão ante o mês anterior - fevereiro (+0,56%) e abril (+0,22%) - e dois amargaram contração - janeiro (-0,38%) e março (-0,61%) - na comparação com ajustes sazonais apresentada nesta sexta-feira pelo Banco Central.

O número ficou dentro das estimativas coletadas pelo AE Projeções, que apontavam para uma expansão de 0,60% a uma contração de 0,70%. A mediana dos prognósticos era positiva em 0,20%, bem próximo do resultado apresentado.

Com a variação observada em abril, o índice subiu de 140,22 pontos em março para 140,53 pontos em abril, na série com ajuste sazonal.

Tudo o que sabemos sobre:
BCIBC-Br

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.