Queda dos juros é sinal de que mercado está mais confortável, diz Tesouro

Segundo Garrido, apesar de terem apresentado alta no início de abril, taxas recuaram ao longo do mês

Adriana Fernandes e Renata Veríssimo, da Agência Estado,

23 de maio de 2011 | 16h26

O coordenador geral de Operações da Dívida Pública do Tesouro Nacional, Fernando Garrido, avaliou nesta segunda-feira, 23, que o mercado financeiro está mais confortável com o retorno da inflação às taxas esperadas. Segundo ele, essa é a razão pela qual a taxa de juros dos papéis prefixados ter recuado desde abril, tendência que permanece em maio.

Ao avaliar os dados da dívida pública em abril, o coordenador disse que foi um mês de baixa volatilidade com essa tendência de redução na taxa de prefixados. Na primeira semana de abril, segundo ele, houve um pico de alta nas taxas, que depois recuaram.

Ele informou que abril foi um mês de maior emissão de títulos em oferta pública desde 2006. Foram emitidos R$ 47,84 bilhões em títulos da Dívida Pública Mobiliária Federal interna (DPMFi). Garrido disse que esse volume recorde de emissão se deve ao fato de ter havido cinco leilões no mês.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.