Divulgação
Divulgação

Queda nas vendas da Via Varejo prejudica o Grupo Pão de Açúcar

A Via Varejo é a empresa de eletroeletrônicos do grupo, que detém o Pontofrio e as Casas Bahia; grupo diz que condições da economia estão desfavoráveis

Dayanne Sousa, O Estado de S. Paulo

13 Outubro 2015 | 14h33

SÃO PAULO - A receita líquida consolidada do Grupo Pão de Açúcar (GPA) no terceiro trimestre de 2015 atingiu R$ 16,061 bilhões, crescimento de 2,7% na comparação com o mesmo período do ano anterior. Já as vendas mesmas lojas do grupo - indicador que leva em conta apenas as unidades abertas há mais de um ano - caíram 2,6% na mesma comparação.

O desempenho consolidado foi afetado por uma queda nas vendas da Via Varejo, empresa de eletroeletrônicos do grupo, que detém o Pontofrio e as Casas Bahia. A receita desse negócio caiu 22,7% no período, ficando em R$ 4,095 bilhões.

Em comentário sobre seu desempenho de vendas, o GPA considerou que "o atual ambiente macroeconômico tem se tornado mais desfavorável ao consumo ao longo do ano". "Enquanto o segmento alimentar demonstra maior resiliência, o segmento de não alimentos está sendo mais impactado", afirmou a companhia.

Alimentos. Considerando apenas o negócio de varejo alimentar do GPA, que inclui as bandeiras Extra, Pão de Açúcar e Assaí, a receita líquida foi de R$ 8,852 bilhões de julho a setembro, expansão de 7,3% ante os mesmos meses do ano anterior.

As vendas mesmas lojas no varejo de alimentos do grupo cresceram 3,3% na comparação anual. O ritmo de crescimento foi 0,6 ponto porcentual superior ao do primeiro semestre de 2015, informou a companhia.

O GPA afirmou que o desempenho nas vendas do negócio de alimentos foi impulsionado pelo crescimento mais acelerado do Assaí, a bandeira de atacado de autosserviço, a qual, de acordo com a companhia, vem ganhando espaço diante da maior preocupação dos consumidores com relação aos preços. O grupo disse ainda que houve melhoria nas vendas dos hipermercados Extra, bandeira que mais vinha sofrendo em trimestres anteriores.

Renovação. O Grupo Pão de Açúcar deu mais detalhes sobre seu plano de reforma de lojas da bandeira Extra. De acordo com a empresa, até o final do ano serão 60 pontos de venda renovados. Essas unidades são responsáveis por 25% das vendas da bandeira, disse o GPA.

Os hipermercados do Extra tem sido o negócio de desempenho mais fraco entre as redes de varejo alimentar do GPA nos últimos trimestres. Para recuperar as vendas, a companhia decidiu revitalizar lojas, revisar o sortimento de produtos e mudar a prestação de serviço aos clientes. Em 2015, disse o GPA, serão 35 hipermercados renovados e 25 supermercados. A base total de lojas da bandeira ao final de junho incluía mais de 340 lojas Extra entre supermercados e hipermercados.

Até o momento, diz o GPA, as lojas Extra já reformadas tem apresentado aumento de 10 pontos porcentuais nas vendas quando comparadas a lojas não reformadas.

Apenas no Assaí, a empresa informou que serão abertas entre 10 a 12 novas lojas até o final deste ano. A bandeira teve crescimento de receita líquida de 22,3%, para R$ 2,564 bilhões. Segundo o GPA,  o desempenho de vendas mesmas lojas (que considera apenas unidades abertas há mais de um ano) foi um crescimento de dois dígitos, com aceleração em relação ao primeiro semestre de 2015. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.