Sergio Moraes/Reuters
Sergio Moraes/Reuters

Queremos sim firmar parceria com Foxconn para tablets, diz Eike

 Segundo o empresário, entrada do grupo EBX no negócio garante a transferência de tecnologia para o País

Eduardo Rodrigues, da Agência Estado,

21 de outubro de 2011 | 18h55

O empresário Eike Batista disse nesta sexta-feira, 21, após encontro com a presidente Dilma Rousseff, que o grupo EBX tem interesse em firmar uma parceria com a chinesa Foxconn para produção de tablets, como o iPad, no Brasil. Segundo ele, porém, o acordo final entre os dois grupos ainda depende de maiores estudos e detalhamentos, para que a engenharia financeira do processo possa ser definida.

"O grupo EBX adora trazer modernidade e eficiência para o Brasil e esse projeto se encaixa perfeitamente nisso", disse o empresário. Batista destacou que a entrada do grupo EBX no negócio garante a transferência de tecnologia para o País, que é um dos objetivos da política industrial do governo. Segundo o executivo, o mercado brasileiro para o produto é bastante promissor, visto que cresce a velocidade maior do que a verificada na Europa e nos EUA. "O potencial é enorme. Imagine os 70 milhões de estudantes brasileiros cada um com um tablet", disse.

Entre os detalhes que ainda faltam ser fechados está a cidade onde a fábrica da Foxconn será instalada. Segundo o ministro de Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, seis estados do País disputam a indústria.

Após o encontro, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, afirmou que a presidente Dilma participará do início da exploração de um campo de petróleo da EBX na Bacia de Campos, no fim deste ano. Segundo ele, o potencial deste campo é de 5 bilhões de barris.

Tudo o que sabemos sobre:
eikeparceriaebxfoxconn

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.