Questões contábeis afetam lucro líquido da Net Serviços

Empresa encerrou o terceiro trimestre com ganho de R$ 72 mi, queda de 76% em relação ao mesmo período de 2010, mas um crescimento de 27,4% na comparação com o segundo trimestre deste ano

Luana Pavani, da Agência Estado,

27 de outubro de 2010 | 14h44

A queda no lucro líquido da Net Serviços no terceiro trimestre de 2010 ocorreu principalmente devido a questões contábeis, como explicou o presidente da empresa, José Antônio Felix. "Do ponto de vista operacional, o resultado apresenta crescimento orgânico. Além disso, a margem Ebitda se manteve estável na comparação entre terceiros trimestres (em 27%) e a receita líquida teve crescimento significativo (de 16%), o que mostra quão saudável está a companhia", afirmou, em teleconferência com jornalistas, nesta quarta-feira, 27.

A Net encerrou o terceiro trimestre com lucro líquido de R$ 72 milhões, queda de 76% em relação ao mesmo período de 2010, mas um crescimento de 27,4% na comparação com o segundo trimestre deste ano, que foi de R$ 56,5 milhões. O diretor de Relações com Investidores da empresa, Márcio Minoru Miyakava, citou entre as questões contábeis que impactaram o comparativo entre terceiros trimestres a reversão de R$ 124 milhões de PIS/Cofins não devido, que antes estava provisionado como contingência; e um ajuste no padrão IFRS para reconhecimento de ágio em função de reorganização societária. Somente em 2009 ocorreu a incorporação de 54 subsidiárias, e há mais cerca de 12 a 14 para serem incorporadas em 2010. "Os ajustes foram feitos basicamente no terceiro trimestre", reiterou Minoru.

A Net está estudando emissões no mercado externo, segundo Minoru. "Estamos acessando mercado, estudando alternativas de custo e prazo", afirmou o executivo de RI, reiterando que as discussões internas sobre estrutura da dívida levam em conta a estratégia da companhia, que é focada em crescimento acelerado. "Nossa intenção é manter a estratégia de crescimento acelerado, pois vemos oportunidades de crescimento em todas as frentes de serviço - TV paga, banda larga e telefonia (oferecida nos combos triple play). E quanto menor pressão de caixa no curto prazo, melhor", afirmou Minoru. Entretanto, não há pressa. Segundo o executivo, não há amortizações previstas tão cedo, só a partir de 2012. "Temos tempos para fazer uma análise detalhada".

A administração da Net reforça que o plano de crescimento e a gestão da companhia estão mantidos independente da questão de controle. A Embratel passou a deter cerca de 76% do total de ações preferenciais da operadora de TV paga e internet após leilão, realizado no último dia 7 na BM&FBovespa, de oferta pública voluntária (OPA). "Apesar desse aumento de capital, o controle da companhia não mudou. O conselho tem a mesma composição. O dia-a-dia da empresa continua para que as metas sejam atendidas independentemente da questão societária", afirmou Felix.

Uma mudança de controle na Net, hoje nas mãos de Globo e Telmex (que controla a Embratel) dependeria de aprovação do projeto de lei conhecido como PL 29, que trata da participação estrangeira em empresas do setor. "Não podemos ficar pensando quando e se o PL 29 vai sair. Temos um plano de negócios a cumprir", completou Minoru, reiterando que o guidance (projeção) de investimento (capex) para este ano está mantido em R$ 1,2 bilhão.

 
Tudo o que sabemos sobre:
Net Serviçosbalanço

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.