Reajuste na Embraer é de 0,94%, corrige sindicato

O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região (SP) corrigiu na tarde desta quarta-feira, 27, informações divulgadas nesta manhã sobre o reajuste aprovado por trabalhadores da Embraer. De acordo com o sindicato, a proposta aprovada inclui reajuste de 0,94% em janeiro e não 0,88%, como anunciado anteriormente. Outros 7,07% são retroativos.

AE, Agencia Estado

27 de novembro de 2013 | 15h58

Segundo o sindicato, cerca de 7 mil funcionários da empresa aprovaram, em assembleia realizada nesta manhã, a proposta de reajuste salarial de 8% da companhia. O reajuste é válido para funcionários com salários de até R$ 10.029,15. Acima desse valor, os trabalhadores receberão um aumento fixo de R$ 720,04 neste mês e de R$ 100,29 a partir de janeiro.

O acordo entre a Embraer e os funcionários acontece depois de três paralisações da categoria em outubro. A primeira proposta da companhia foi de reposição da inflação, com reajuste de 6,07%. "A conquista de aumento real só veio graças à greve dos trabalhadores. Agora, vamos continuar a luta pela redução da jornada", afirmou, em nota, o vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Herbert Claros da Silva. Conforme a entidade, o reajuste de 8% é compatível com o obtido pela categoria metalúrgica e a mesma proposta será encaminhada para votação em outras fábricas do setor aeronáutico.

Tudo o que sabemos sobre:
Embraerreajuste

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.