Receio do mercado com Grécia é 'compreensível', diz FMI

Em entrevista a um jornal  francês, economista-chefe do Fundo disse que histórico dos governos anteriores do país deve ser levado em consideração

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

24 de maio de 2010 | 15h45

Os receios do mercado sobre se a Grécia será capaz de honrar as dívidas são "compreensíveis", levando em consideração o histórico dos governos anteriores do país, afirmou o economista-chefe do Fundo Monetário Internacional (FMI), Olivier Blanchard, ao jornal francês La Tribune.

De acordo com a autoridade, o governo grego precisa mostrar que está determinado em implementar reformas seguindo as orientações do FMI e da União Europeia e os países do bloco precisam aprovar as contribuições para a Grécia. Blanchard disse também que o Banco Central Europeu deve comunicar-se com mais clareza "e convencer os mercados de que, se necessário, continuará comprando bônus dos países".

O economista-chefe do FMI disse que não vê necessidade de revisões nas estimativas de crescimento econômico para 2010 divulgadas pelo órgão em abril. Blanchard também afirmou que, por provocar o enfraquecimento do euro, a incerteza nos mercados é uma "boa notícia" para a Grécia, porque ajuda o país a ser mais competitivo no campo das exportações.

As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
GréciadívidacriseFMI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.