Receita com exportação de café sobe 26,6% até setembro

São Paulo, 6 - Levantamento do Conselho dos Exportadores de Café (Cecafé), divulgado hoje, mostra que no acumulado do ano, até setembro, a receita cambial com exportação de café (verde e solúvel) cresceu 26,6% em relação ao mesmo período do ano passado. O faturamento é de US$ 1,372 bilhão, ante US$ 1,084 bilhão de janeiro a setembro de 2003. Nos primeiros nove meses deste ano, as exportações brasileiras de café totalizaram 18.448.051 sacas de 60 kg, com queda de 1,9% em relação a 2003 (18.808.299 sacas). Desse total, o volume de café verde exportado pelo Brasil reduziu 4,2% no período. Foram embarcadas 16.056.362 sacas de 60 kg, em comparação com 16.759.646 sacas em 2003. O volume exportado de café verde em setembro apresentou queda de 9,7%, em relação ao mesmo mês de 2003. Foram embarcadas 2.059.899 sacas de 60 kg, ante 2.280.986 sacas em setembro do ano passado (queda de 221.087 sacas). O volume exportado em equivalente de café solúvel em setembro foi de 246.677 sacas, representando aumento de 4,5%, em comparação com o mesmo mês de 2003 (236.066 sacas). Assim, o total de café exportado pelo Brasil no mês passado foi de 2.306.576 sacas, resultado 8,4% inferior ao mesmo mês de 2003 (2.517.052 sacas). Em relação ao mês de agosto/04, o volume exportado de café verde teve leve recuo de 0,6%, de 2.072.473 sacas para 2.059.899 sacas. Pela terceira vez no ano, o volume embarcado superou 2 milhões de sacas (março, agosto e setembro). O Cecafé informa, ainda, que a receita cambial com o produto em setembro teve crescimento de 10,9% no mês passado. Os exportadores faturaram US$ 172,349 milhões, em comparação com US$ 155,423 milhões em setembro de 2003. A receita cambial de setembro também é a terceira melhor do ano, só inferior a de março (US$ 181,562 milhões) e agosto (US$ 177,756). O relatório mensal do Cecafé mostra que de janeiro a setembro o volume de café verde exportado somou 16.056.362 sacas, ante 16.759.646 sacas no mesmo período de 2003, queda de 4,20%. O principal mercado dos grãos verdes no período foi a Alemanha, com 3.320.275 sacas (aumento de 13,07%) sobre o ano passado (2.936.452 sacas). O segundo principal destino foram os Estados Unidos, com 2.686.610 sacas (menos 23,92% em relação às 3.531.497 sacas do ano passado). O terceiro principal destino foi a Itália, com 1.642.631 sacas (queda de 7,30%). No acumulado do ano-safra corrente, que vai de julho de 2004 a junho de 2005, o Brasil exportou 6.666.232 sacas ante 6.244.261 sacas na safra anterior. A receita foi 35,2% maior no período. Segundo o diretor geral do Cecafé, Guilherme Braga, o desempenho só não foi melhor por conta da queda nas vendas da variedade conillon, cujos produtores estão recebendo uma remuneração maior das indústrias do mercado interno. No acumulado até setembro, o recuo dos embarques de café conillon foi de 76,4%, de 2.355.963 sacas em 2003 para 555.345 sacas, ou seja, menos 1.800.618 sacas exportadas. Quanto à exportação de solúvel, foram embarcadas 2.391.689 sacas, o que representa aumento de 16,7% sobre o ano passado, quando foram exportadas 2.048.653 sacas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.