Receita com exportação de carne bovina cresceu 64% até maio em MG

Belo Horizonte, 5 - A receita das exportações de carne bovina de Minas Gerais atingiu crescimento de 64% entre os meses de janeiro e maio deste ano, na comparação com igual período do ano passado, para US$ 144,7 milhões. Em volume, o incremento chegou a 44%, para 45,2 mil toneladas, conforme dados disponibilizados pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado (Faemg).O aumento é expressivo, se for considerado que durante todo o ano de 2005, as vendas externas de carne bovina chegaram a 41,8 mil toneladas. As projeções da assessoria técnica da Faemg indicam a possibilidade de um crescimento de 21,5% na produção do Estado, para um patamar de 1,2 milhões de toneladas em 2007.Parte deste resultado é atribuído à política de incentivos que o governo mineiro passou a oferecer a partir do ano passado, no programa chamado Minas Carne. "Devemos fechar o semestre com um crescimento de 70% nas exportações de carne, na comparação com o ano passado", estima o secretário de Estado da Agricultura, Gilman Viana Rodrigues e acrescentou "o céu é o limite". A meta do programa é atingir um volume total de exportações de 200 mil toneladas até 2010.Minas possui o terceiro maior rebanho bovino do País, com cerca de 21 milhões de cabeças, sendo 55% de pecuária de corte. A participação das vendas ao exterior é menor do que 2%. A capacidade instalada para o abate no Estado é de 30 mil animais por dia, mas hoje são abatidos entre sete mil e oito mil cabeças diárias. De um total de 34 indústrias com registro no Sistema de Inspeção Federal (SIF) que operam atualmente no Estado, sete estão habilitadas a exportar. A maior parte do rebanho de corte antes era enviada aos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro para abate.

Raquel Massote

15 de julho de 2007 | 13h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.