Via Varejo
Via Varejo

Rede testa tela Touch e realidade virtual em novo formato de loja em SP

Ao entrar na unidade, computador detecta gênero, faixa etária e identifica se a experiência na loja deixou o cliente satisfeito

Dayanne Sousa, O Estado de S.Paulo

23 de janeiro de 2018 | 16h31

Uma experiência de comprar e vender parecida com a do e-commerce está sendo testada pela Via Varejo numa nova loja física inaugurada nesta terça-feira, 23, em São Paulo. Com óculos de realidade virtual e telas touch no lugar de prateleiras e expositores, a unidade do Pontofrio, aberta no shopping Vila Olímpia, tem menos área de vendas do que os pontos tradicionais: são 170 metros quadrados ante mais de mil de uma loja típica.

A Via Varejo quer que a nova loja seja um laboratório de testes para novas tecnologias no varejo. A depender do sucesso obtido, as novidades poderão ser levadas para os cerca de mil pontos de venda da companhia, dona do Pontofrio e também da bandeira Casas Bahia.

Algumas das ideias em teste envolvem dar ao espaço da loja física a mesma capacidade que a internet tem de vender um pouco de tudo. A companhia também quer que, assim como no e-commerce, a loja física consiga saber exatamente por quais produtos o cliente anda interessado e possa fazer sugestões personalizadas.

"Está claro para a gente que, no mundo todo, quem está fazendo algo de relevante no varejo está buscando uma experiência que aproxime a loja física da virtual', comenta Marcelo Nogueira, diretor de Modelo de Vendas da companhia.

Ao entrar e sair da nova loja do Pontofrio, o cliente tem sua expressão facial monitorada por câmeras. Um algoritmo consegue detectar se o consumidor é homem ou mulher, estimar a faixa etária e ainda identificar se a experiência na loja o deixou satisfeito. Esse indicador de satisfação vai até mesmo influenciar na remuneração dos vendedores.

Embora soem futuristas, algumas das iniciativas já estão sendo viabilizadas em grande escala. Os anúncios em grandes painéis na vitrine, os aparelhos de televisor colocados à venda e até mesmo as etiquetas de preço na nova loja são controladas remotamente por funcionários na sede da Via Varejo, em São Caetano do Sul. Com isso, os que trabalham no ponto de venda perdem menos tempo arrumando o espaço e ficam disponíveis para atender clientes. Esse controle remoto das imagens que se exibem nas TVs à venda já está sendo levado a outras lojas da rede.

"Não temos a pretensão de expandir todas essas tecnologias para a totalidade das lojas, mas queremos entender quais delas podem ser relevantes e para quais públicos", declarou Nogueira.

Para viabilizar uma possível adoção de algumas dessas novas tecnologias, as lojas antigas, no entanto, precisam de uma preparação prévia. A Via Varejo tem acelerado alguns ajustes em sua infraestrutura tecnológica, que envolvem a disponibilização de internet sem fio e conexões de rede mais robustas. Hoje, 250 pontos de venda têm uma estrutura já adequada. A meta é fazer isso em todas as lojas até meados de 2018.

A companhia ainda acredita que lojas menores e em regiões mais centrais das grandes cidades podem contribuir para alavancar vendas que começam na internet e terminam no mundo físico. A unidade do Pontofrio na Vila Olímpia, por exemplo, já tem um balcão destinado especificamente para a retirada de produtos comprados na loja virtual. 

Tudo o que sabemos sobre:
Via VarejoVarejo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.