Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

Refeições em voos internacionais da Azul terão assinatura de Ana Maria Braga

Apresentadora vai assinar menu das classes econômicas e executivas da empresa aérea

O Estado de S.Paulo

16 Abril 2018 | 19h56

O passageiro que voar com destino aos Estados Unidos ou à Europa com a Azul Linhas Aéreas vai encontrar um rosto conhecido no cardápio de refeições. A apresentadora Ana Maria Braga assinará o menu da classe econômica e executiva da companhia aérea, que no último ano foi avaliada em R$ 27,9 bilhões.

+ Azul reverte prejuízo e encerra 2017 com lucro de R$ 529 milhões 

A estratégia, segundo a diretora de marketing e comunicação Claudia Fernandes, é servir uma comida que dê a ideia de caseira, de receitas familiares. “Nosso espírito de bordo é o de servir ‘comfort food’”, afirma. Segundo ela, mesmo que não seja chefe de cozinha, a apresentadora conversa bem com todas as classes sociais e é uma pessoa querida pelos brasileiros.

+ Outras empresas chinesas enfrentam crise de imagem

Na classe executiva, os clientes poderão escolher três pratos: salada de rúcula com azeite e mel para a entrada; Saltimboca alla Romana - uma espécie de medalhão de filé mignon - como prato principal e torta de paçoca para a sobremesa. Já na classe econômica, a receita da apresentadora é um guisado de carne com cenoura.

+ Setor aéreo espera retomada puxada por viagens corporativas para este ano

Realizar campanhas publicitárias que destaquem o serviço de bordo é recorrente na companhia aérea. No último ano, a Azul iniciou um ‘happy hour’ para voos domésticos no final da tarde e início da noite, de quarta a sexta-feira. A empresa servia latas de cerveja aos passageiros no final do expediente. A ideia inicial era fazer a ação de modo esporádico no verão, mas a medida acabou sendo mantida e hoje é um serviço regular.

Questionada se a estratégia era uma oposição a das companhias que oferecem poucos produtos em seu serviço de bordo, Claudia preferiu não comentar. “Pensamos em proporcionar a melhor experiência para o nosso cliente”, finalizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.