Regras de Basileia III podem não ser suficientemente duras, diz BOE

Presidente do Banco da Inglaterra defendeu longo período de transição para os novos padrões regulatórios

Danielle Chaves, da Agência Estado,

28 de julho de 2010 | 11h50

O presidente do Banco da Inglaterra (BOE), Mervyn King, expressou preocupação com o fato de que as reformas acertadas pelos representantes de bancos centrais e órgãos reguladores internacionais podem não ser suficientemente rigorosas.

"Não tenho receios sobre Basileia III como um padrão mínimo. Na verdade minha única preocupação sobre o modo como o debate está sendo encaminhado é de que (as regras) não sejam suficientemente duras", disse, sem especificar o que deveria ser mais rígido.

No entanto, King defendeu a ideia de permitir um longo período de transição para os novos padrões regulatórios, com o objetivo de evitar que os bancos tenham de escolher entre novamente acumular capital ou emprestar para empresas.

Nesta semana, autoridades financeiras se reuniram na Suíça e chegaram a um amplo acordo sobre a estrutura das reformas de capital e liquidez, que está sendo chamado de Basileia III e pretende evitar uma repetição da crise que começou entre 2007 e 2008. No entanto, as autoridades adiaram a obrigatoriedade de implementação das regras até 2018 ou depois.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
BOABanco CentralKingBasiléiabancos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.