Reino Unido descarta transferir poder de Londres para UE

Primeiro-ministro afirmou, apesar disso, que quer 'uma eurozona forte, estável,para lidar com temas e problemas que ela tem, para que haja um bomcrescimento em toda a Europa'

Gabriel Bueno, da Agência Estado,

21 de maio de 2010 | 11h31

O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, disse nesta sexta-feira que seu país não concordará em transferir qualquer poder de Londres para a União Europeia. Cameron insistiu, porém, que deseja ver uma zona do euro forte e estável. "Não há possibilidade de concordar com um tratado que transfere poderes de Westminster para Bruxelas", disse Cameron, durante entrevista coletiva após um encontro com a chanceler alemã, Angela Merkel.

Cameron afirmou, apesar disso, que quer "uma eurozona forte, estável, para lidar com temas e problemas que ela tem, para que haja um bom crescimento em toda a Europa".

O primeiro-ministro britânico sinalizou que seu país não necessariamente emperrará a aprovação de qualquer novo tratado da UE para aumentar a coordenação da zona do euro, contanto que essas medidas não minem a soberania dos países que não usam a moeda comum.

"Claro, nós entendemos o interesse do governo alemão em garantir que a zona do euro trabalhe bem e nos interesses dos contribuintes alemães", disse Cameron. "Mas isso não significa que você precise ter um tratado que transfira poder de Westminster para Bruxelas", ressaltou.

O governo alemão já disse que as mudanças necessárias para fortalecer o controle fiscal na zona do euro podem exigir alterações nos tratados da UE.

As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
CameronReino UnidoUnião Europeia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.