Relaxamento fiscal dá sinais negativos sobre Brasil, diz S&P

A presidente da agência no País afirmou, entretanto, que este não é o principal cenário da S&P e que o risco de contágio do mercado bancário brasileiro com a crise internacional é pequeno

Agência Estado,

12 de dezembro de 2011 | 12h36

SÃO PAULO - A presidente da agência de rating Standard & Poor''s (S&P) no Brasil, Regina Nunes, afirmou nesta segunda-feira, 12, que o sacrifício fiscal do País, de pelo menos manter o superávit primário cheio, pode ajudar a aumentar a velocidade da melhora da avaliação de risco brasileira.

Em seminário sobre "Riscos e Oportunidades no Cenário Econômico", na manhã de hoje, na capital paulista, ela afirmou que um relaxamento fiscal pode dar sinais negativos sobre o Brasil, mas que este "não é o cenário principal da Standard & Poor''s". Regina Nunes afirmou ainda que o mercado bancário brasileiro tem um risco pequeno de contágio com a crise internacional.

Tudo o que sabemos sobre:
S&PBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.