Renault nomeia executivo da Nissan como diretor operacional, diz ’WSJ‘

O executivo português Carlos Tavares trabalhará sob o comando do brasileiro Carlos Ghosn, executivo-chefe da Renault e da Nissan

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

30 de maio de 2011 | 15h56

A Renault indicou o executivo português Carlos Tavares, diretor da divisão Américas da Nissan Motor, como diretor operacional. A indicação acontece no momento em que a montadora tenta superar um caso envolvendo falsas acusações de espionagem, informou o Wall Street Journal.

Tavares, de 52 anos, trabalhará sob o comando do brasileiro Carlos Ghosn, executivo-chefe da Renault e da Nissan, anunciou a montadora francesa. Tavares começou a trabalhar na Renault em 1981 como engenheiro e desde 2004 estava na parceira japonesa Nissan.

As prioridades do executivo serão "a melhora permanente na competitividade e no desenvolvimento de fábricas na França", disse a companhia. Segundo Ghosn, a indicação de Carlos Tavares é o primeiro passo para o fortalecimento da administração da Renault.

A indicação de Tavares ocorre após a demissão, em abril, do ex-diretor operacional da Renault Patrick Pelata, que assumiu a responsabilidade pelo escândalo envolvendo ao menos três executivos demitidos erroneamente por terem supostamente vendido segredos da companhia.

A polícia agora investiga uma conspiração de fraude contra a empresa por membros do serviço de segurança interna da montadora, do qual três foram demitidos. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.