Renault - 15/5/2020
Renault - 15/5/2020

Renault anuncia nova plataforma para a produção local de mais um SUV e veículos eletrificados

Grupo ainda não revelou o valor do investimento, que se segue ao plano de R$ 1,1 bilhão a ser encerrado neste mês

Cleide Silva, O Estado de S.Paulo

08 de março de 2022 | 05h00

A francesa Renault terá uma nova plataforma na fábrica de São José dos Pinhais (PR) onde vai produzir um inédito utilitário esportivo (SUV) de pequeno porte. Com essa base, o grupo poderá ainda fabricar modelos eletrificados (híbridos ou elétricos).

O projeto anunciado nesta segunda-feira ao governador do Paraná, Ratinho Júnior, inclui também a produção de um novo motor 1.0 turbo flex. A plataforma conhecida como CMF-B também está apta a produzir modelos da Nissan que, junto com a Mitsubishi compõem a aliança global das três marcas. 

O valor do investimento, já negociado com a matriz, ainda não foi revelado. Ele segue o plano de R$ 1,1 bilhão anunciado no início de 2021 para a modernização de cinco modelos da marca, Captur, Duster, Kwid e Master. Ele acaba neste mês com o lançamento da nova picape Oroch.

Diferente de programas anteriores de investimento, normalmente definidos por períodos de cinco anos, no ano passado a companhia decidiu por plano de curto prazo e negociações com a matriz após seu encerramento. Na ocasião, o presidente da do Brasil, Ricardo Gondo, disse que novos apostes dependeriam “da melhoria da competitividade do País”.

No evento hoje com o governador, o executivo destacou que a aprovação de um acordo coletivo com o Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba e os funcionários em 2020 trouxe previsibilidade e flexibilidade, fundamentais para a aprovação da nova plataforma. O acordo vale até 2024. 

Novo SUV deve ser lançado em dois anos

O novo SUV deverá chegar ao mercado num prazo de cerca de dois anos e deverá disputar modelos no segmento em que atuam hoje Fiat Pulse e Volkswagen T-Cross. A empresa não deu detalhes se já tem projeto para a produção de carros eletrificados no Brasil. Hoje o grupo importa o elétrico Zoe e ainda este ano trará também o Kwid elétrico.

O presidente da Renault América Latina, Luiz Fernando Pedrucci, afirmou, em nota, que a subsidiária brasileira segue “trabalhando para a aprovação de outros produtos para os demais países da região onde temos fabricação”.

“A chegada da moderna plataforma CMF-B, juntamente com um novo motor 1.0 turbo dão continuidade à nossa estratégia de reforçar nossa presença em segmentos mais altos do mercado, coerente com o plano estratégico Renaulution”, acrescentou Gondo.O plano consiste em mudar a estratégia do grupo de volume maior de vendas para valor, ou seja, vender menos unidades, mas de carros com maior valor agregado e, portanto, mais caros. 

Questionada sobre a intenção de produzir modelos da marca japonesa na fábrica da Renault como parte da sinergia estabelecida na aliança global, a Nissan do Brasil respondeu que “não comentará sobre possibilidades de planos para o futuro neste momento”. Acrescentou, contudo, entender “que trata-se de mais uma demonstração de como a aliança segue sendo muito positiva para o desenvolvimento das marcas, como já fazemos localmente em várias sinergias.” A Nissan produz seus modelos em Resende (RJ).

O complexo da Renault no Paraná envolve quatro fábricas que produzem automóveis, comerciais leves, motores e injeção de alumínio. Emprega cerca de 6 mil funcionários que operam em dois turnos. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.