Werther Santana/Estadão - 12/5/2021
Werther Santana/Estadão - 12/5/2021

Renner anuncia compra da plataforma de venda de roupas usadas Repassa

A rede não informou o valor do negócio, que deve ser concluído em um mês e é a primeira aquisição com recursos obtidos na oferta de ações que levantou cerca de R$ 4 bilhões em abril

Talita Nascimento, O Estado de S.Paulo

15 de julho de 2021 | 14h31

A Lojas Renner anunciou nesta quinta-feira, 15, a assinatura do contrato para compra do Repassa, startup de venda online de roupas, calçados e acessórios usados. A companhia não deu detalhes de valores, pois a transação ainda deve ser concluída nos próximos 30 a 40 dias. Mas, ao Estadão/Broadcast, o CEO da companhia, Fabio Faccio, afirmou que esse é um primeiro movimento de aquisição com os recursos da oferta subsequente de ações (follow-on) que levantou cerca de R$ 4 bilhões em abril deste ano.

“É um movimento menor se comparado ao volume de recursos do follow-on”, afirma. Ele avalia que a startup atende aos três pilares de negócios da Renner no momento: inovação, digitalização e sustentabilidade. A caminhada da companhia na construção de seu "ecossistema de varejo" (em que o cliente, em um mesmo ambiente, faz compras com recorrência, encontra diferentes meios de pagamento e serviços de crédito) está apenas no início. Para dar corpo ao aumento de sortimento de produtos que a empresa almeja, mais compras devem vir pela frente. “Imaginamos alguns movimentos de M&A (fusão e aquisição): pequenos, médios, talvez um maior”, diz Faccio.

A compra do Repassa foi toda organizada pelo time interno de Novos Negócios da Lojas Renner, capitaneado por Guilherme Reichmann. Segundo Faccio, a área foi criada há cerca de 18 meses e vem sendo reforçada desde então. A decisão de não contratar bancos de investimentos para essa primeira compra se deveu ao tamanho da operação. Mas, para uma aquisição maior, a companhia não descarta a participação de grandes bancos. “Pelo volume da transação, entendemos que conseguiríamos fazer sem apoio externo. Transações maiores podem ocupar outros times externos, como bancos”, afirma Faccio.

O Repassa conta com 300 colaboradores. Em 2020, a Renner iniciou uma parceria com a empresa, quando algumas lojas da varejista passaram a fornecer as “Sacolas do Bem” utilizadas pelos usuários para colocar e enviar ao Repassa as peças a serem revendidas.

O modelo da empresa foi considerado interessante pela Renner, pois a plataforma se responsabiliza por toda a “jornada do cliente”. Quem tem peças para vender pode retirar as sacolas gratuitamente nos pontos indicados pela startup - dentre eles, 15 lojas da Renner - ou comprar a sacola pela internet. Depois de enviar os produtos pelos Correios, o cliente recebe a informação de quais foram considerados aptos para a venda e quais são mais indicados para a doação, por exemplo. O Repassa higieniza, fotografa e organiza as peças e os anúncios. Após a venda, a empresa paga quem disponibilizou o produto.

Previsão de crescimento na venda de usados

Em teleconferência com investidores sobre a aquisição, a diretoria da Lojas Renner salientou o potencial crescimento do mercado de revenda de peças de vestuário usadas.

Segundo dados disponibilizados na apresentação da companhia, o mercado brasileiro de revenda de moda deve crescer 4,4 vezes de 2019 a 2025, totalizando R$ 31 bilhões. O mercado mundial de revenda, por sua vez, cresce 25 vezes mais rápido do que o de moda convencional.

De acordo com a companhia, 40% da geração Z já consome do mercado de revenda. Além disso, em 2020, 43% dos consumidores em geral disseram comprar de marcas sustentáveis, ante 18% em 2019.

Tudo o que sabemos sobre:
RennervarejostartupRepassa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.