Reorganização da GM na Europa pode levar a até 10 mil demissões

A montadora GM poderá cortar entre 9 mil e 10 mil empregos como parte da reestruturação de seus negócios na Europa, disse o chefe-interino dos negócios da fabricante de veículos no continente, Nick Reilly, nesta terça-feira.

REUTERS

17 de novembro de 2009 | 15h50

A companhia poderá reduzir sua produção na Europa entre 20 e 25 por cento como parte de um plano de 3,3 bilhões de euros (4,9 bilhões de dólares), disse ele em entrevista coletiva em Londres.

Detalhes sobre onde os cortes de empregos serão feitos ainda não estão prontos, acrescentou. Ele também não disse quanto do financiamento necessário ao plano de reorganização virá de governos e quanto do caixa da empresa.

"O plano pode envolver o fechamento de fábrica", disse. "Ainda não estamos 100 por cento decididos", acrescentou.

Tudo o que sabemos sobre:
AUTOSGMDEMISSOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.