Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Representante da Europa no FMI defende cooperação

Para o chefe do departamento europeu no Fundo, atuações individuais dos envolvidos na crise da região estão gerando resultados coletivos 'desastrosos'

Agência Estado,

25 de setembro de 2011 | 10h16

A Europa precisa adotar uma atitude de maior cooperação para resolver sua crise de dívida, forçando participantes individuais do mercado a acompanharem se necessário, afirmou neste domingo um membro do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Antonio Borges, chefe do departamento de Europa do FMI, afirmou em uma discussão que todos os envolvidos na crise europeia estão compreensivelmente agindo de acordo com os interesses próprios, mas que isso está gerando resultados coletivos "desastrosos".

"Se você vai aos legisladores, mesmo o Banco Central Europeu, todos estão concentrados em suas próprias limitações internas, e não temos o resultado que precisamos", disse Borges. Ele afirmou ainda que a atitude coletiva necessária pode ter que incluir "alguns elementos coercivos, já que ninguém pode agir individualmente." As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EuropaFMIcrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.