Repsol receberá US$ 5 bi por estatização da YPF

A petrolífera Repsol confirmou nesta sexta-feira, 21, que receberá do governo argentino uma indenização de US$ 5 bilhões pela estatização de 51% das ações que detinha na YPF. Em nota enviada à Bolsa de Madri, a espanhola explicou que o preço das ações foi reavaliado e, portanto, ficou mais próximo do solicitado como compensação ao governo de Cristina Kirchner. O acordo deve ser aprovado na terça-feira, 25, durante reunião do Conselho de Administração da Repsol.

MARINA GUIMARÃES, CORRESPONDENTES, Agencia Estado

21 de fevereiro de 2014 | 11h13

"No fechamento do exercício de 2013, atendendo ao princípio do acordo anunciado no mês de novembro sobre as ações de YPF S.A e YPF Gas S.A submetidas ao processo de expropriação, as ações expropriadas foram reavaliadas para US$ 5 bilhões", afirmou a empresa em comunicado. A estatização da YPF foi aprovada em abril de 2012, com a intenção do ministro de Economia, Axel Kicillof, de "não pagar nenhum centavo" à Repsol porque a companhia "havia saqueado" a petrolífera nacional e os recursos energéticos dos argentinos.

Desde então, Repsol e o governo da Espanha tiveram duros enfrentamentos com a Casa Rosada. A tensão só foi aliviada em novembro, quando a presidente Cristina Kirchner, pressionada pela escassez de divisas, decidiu mudar de estratégia com a Repsol e a comunidade internacional. Com um discurso mais conciliatório, o governo argentino abriu várias frentes de negociação com credores, inclusive com a espanhola.

Tudo o que sabemos sobre:
REpsonYFPindenização

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.