Republicanos propõem reduzir déficit em US$ 2,2 trilhões

 Segundo agência de notícias, corte se daria ao longo dos próximos dez anos; a proposta dos democratas envolve redução de US$ 3 trilhões e aumento de impostos  

Agência Estado,

27 de outubro de 2011 | 15h32

Os republicanos que integram a supercomissão conjunta criada para definir o caminho a ser seguido para reduzir o déficit do governo federal norte-americano defendem uma redução de US$ 2,2 trilhões ao longo dos próximos dez anos, informa a agência de notícias Reuters com base em informações de assessores parlamentares.

O plano republicano prevê cortes significativos, de aproximadamente US$ 685 bilhões, em programas sociais e de saúde pública que atualmente beneficiam as populações mais pobres e mais idosas dos Estados Unidos, além de alterações tributárias para estimular a economia do país, prosseguiram as fontes.

A supercomissão bipartidária tem 12 integrantes, sendo 6 republicanos e 6 democratas. As reuniões têm ocorrido a portas fechadas. Segundo assessores, os democratas têm plano de reduzir o déficit em US$ 3 trilhões no decorrer dos próximos 10 anos, o que inclui um corte de US$ 500 bilhões no orçamento dos programas de saúde pública Medicare e Medicaid e aumento de US$ 1,3 trilhão na arrecadação de impostos.

O presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, John Boehner (republicano por Ohio), criticou a proposta dos democratas que integram a supercomissão bipartidária de redução da dívida e admitiu que o painel "está enfrentando alguma dificuldade" para trabalhar.

Um plano apresentado pelos democratas da Comissão Conjunta de Redução do Déficit incluía US$ 1,3 trilhão em aumento de arrecadação de impostos, o que "não é um número razoável", disse Boehner em entrevista coletiva concedida hoje em Washington.

"Este é o mesmo número que está no orçamento do presidente (Barack Obama), o mesmo número que eu acho que não haverá votos suficientes dos próprios democratas na Câmara ou no Senado para aprová-lo", declarou.

Os 12 integrantes da supercomissão bipartidária têm negociado planos de redução do déficit em reuniões a portas fechadas.

As informações são da Dow Jones. (Ricardo Gozzi)

Tudo o que sabemos sobre:
Estados Unidoscrise globaldéficit

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.