Resultados da P&G ficam bem acima das expectativas

A Procter & Gamble anunciou lucro líquido bem acima da expectativa dos analistas e disse que melhorou ligeiramente suas expectativas de crescimento para a indústria mesmo com os consumidores ainda cautelosos.

REUTERS

29 de outubro de 2009 | 10h07

Os produtos para bebês da P&G foram pressionados por meses, uma vez que os compradores buscaram marcas mais baratas que Pampers e Tide, e renegaram itens como a colônia Hugo Boss e o creme facial SK-II.

A maior fabricante mundial de produtos de consumo doméstico ganhou 3,31 bilhões de dólares, ou 1,06 dólar por ação, no primeiro trimestre fiscal, que se encerrou em 30 de setembro, comparado com lucro de 3,35 bilhões de dólares, ou 1,30 dólar por ação, um ano antes.

Analistas, em média, esperavam que a companhia anunciasse lucro de 0,99 dólar por ação, de acordo com a Thomson Reuters I/B/E/S.

As vendas líquidas caíram 6 por cento, para 19,8 bilhões de dólares, com declínio em todas as categorias, de beleza a salgadinhos e cuidados com animais.

As vendas orgânicas, que excluem o impacto da variação cambial, aquisições e desinvestimentos, subiram 2 por cento.

A P&G havia previsto que tais vendas pudessem recuar 3 por cento.

(Reportagem de Jessica Wohl)

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASPGRESULTSATUALIZA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.