Robôs cozinham e atendem clientes em restaurante chinês

Eles não ficam doentes, não faltam e nem fazem greve, comemora dono do estabelecimento

AFP

14 de agosto de 2014 | 15h28

KUNSHAN - Em um restaurante futurista do leste da China, androides cuidam da cozinha enquanto robôs com rodinhas servem os clientes pratos como ravioli ao vapor e verduras fritas.

O pequeno restaurante aberto na semana passada na cidade de Kunshan, na província de Jiangsu, na China, oferece pratos emblemáticos da cozinha regional, mas o serviço não tem nada de tradicional.

Dois robôs dão as boas vindas aos clientes e quatro pequenos androides levam os pratos até as mesas.

"Minha filha me pediu um robô para ficar livre os trabalhos domésticos", explicou Song Yugang, fundador do restaurante. 

Foi então, ao interessar-se por robótica, que lhe ocorreu a ideia de criar atendentes mecânicos para o seu restaurante, inclusive para trabalhar na cozinha.

Cada robô custa cerca de US$ 6,5 mil, o equivalente a um salário anual de um empregado de carne e osso.

"Os robôs podem entender 40 frases e sinais da vida diária", diz o dono do restaurante. "Mas a grande vantagem é que eles não ficam doentes, não pedem férias e nem fazem greve", acrescenta.

Segundo o empresário, basta carregar as baterias duas horas por dia para uma autonomia de cinco horas.

O restaurante não é o primeiro a abrir as portas na China com atendentes robôs. Outro estabelecimento em Harbin tem 100% de empregados robóticos desde 2012. O preço da mão de obra na China aumentou significativamente nos últimos anos, o que acelerou o processo de automação em muitas empresas.

Tudo o que sabemos sobre:
Robótica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.