Rodrigues anuncia criação de Secretaria de Relações Internacionais

Brasília, 13 - O ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, anunciou hoje a criação de uma nova secretaria da pasta, que ficará responsável por assuntos que envolvem relações internacionais. A nova Secretaria de Relações Internacionais trabalhará em parceria com os ministérios das Relações Exteriores e Indústria, Desenvolvimento e Comércio Exterior. Ele disse que também está sendo criada uma área de planejamento estratégico que ficará vinculada à Secretaria Executiva do Ministério da Agricultura. Rodrigues disse que a reforma é fundamental porque "o Ministério está sendo um freio para o desenvolvimento do agronegócio". Segundo ele, a última reestruturação foi feita pelo então ministro Alysson Paulineli (1974/79). Rodrigues citou que nos últimos 50 anos a agricultura mudou muito. Lembrou que no passado o café respondia por 50% das exportações do agronegócio brasileiro; hoje a soja responde por 50% das vendas externas e o café, 3%. Ao anunciar a troca do secretário executivo José Amaury Dimarzio pelo atual presidente da Conab, Luís Carlos Guedes Pinto, Rodrigues disse que a missão do primeiro "terminou com a reforma do Ministério". O ministro disse também que aceitou tranqüilamente a decisão de Dimarzio de "cuidar da vida dele". "É um processo natural de troca, sem conflito", afirmou Rodrigues. Sobre Guedes, o ministro brincou que "é mais fácil mandar em bicho que em colega de turma". Ele explicou que o novo secretário foi seu colega de turma no curso da Esalq, já Dimarzio foi seu bicho, ou seja, entrou na faculdade depois e passou pelo trote comum aplicado pelos veteranos. Rodrigues disse também que a Conab era uma estrutura de décadas de problemas, inclusive de corrupção, mas que Guedes Pinto conseguiu pôr fim a esse ciclo. Ao se despedir do Ministério, Dimarzio disse que sempre foi chefe, e que estava saindo porque "não queria ficar preso a uma responsabilidade". Rodrigues disse que a semana passada foi muito boa para a agricultura, com a aprovação da Medida Provisória que permitiu a reestruturação da pasta, a aprovação da MP que permitiu a criação de novos títulos agrícolas, a votação da MP sobre soja transgênica, a aprovação do decreto que permitiu a liberação de R$ 44 milhões adicionais para a Defesa Sanitária, e a autorização de crédito suplementar para que o Ministério pague salários. O ministro disse ainda que está negociando com o Ministério dos Transportes para que a navegação de cabotagem seja aberta para navios de bandeira estrangeira, o que, segundo ele, permitirá escoar trigo e arroz do Rio Grande do Sul para outras regiões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.