Rodrigues: câmbio atual perturba a competitividade do agronegócio

Brasília, 6 - O ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, disse hoje que "o câmbio como está perturba a competitividade do agronegócio". Segundo Rodrigues, os insumos comprados esse ano foram adquiridos com um câmbio mais valorizado e, portanto, "com um valor maior do que o que está hoje". "Os custos da produção que já vinham subindo por causa do crescimento da demanda mundial dos insumos agrícolas, principalmente fertilizantes e equipamentos agrícolas, estão mais altos hoje", disse. "A expectativa é de descasamento de renda nessa área e o governo tem de tomar todas as medidas para evitar o endividamento do setor, com cuidado de alocar recursos do orçamento da União, para garantir a ação de política agrícola do governo, na compra de produtos e no leilão de opções", declarou ele, acrescentando que é preciso haver mecanismos que garantam a renda do produtor. Indagado se estava defendendo a intervenção no câmbio, o ministro da Agricultura disse que não se tratava disso. "O importante é a intervenção do governo garantindo em mecanismos que assegurem a renda dos produtores." Já o vice-presidente e ministro da Defesa, José Alencar, ao ser questionado sobre a intervenção do governo no câmbio limitou-se a responder que "o câmbio é flutuante".

Agencia Estado,

06 de dezembro de 2004 | 19h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.