Rodrigues: governo quer alocar R$ 2 bi à comercialização da safra

São Paulo, 28 - O ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, disse hoje, ao chegar para a abertura oficial da 13ª Exposição Nacional da Pecuária Leiteira (Expomilk 2004), em São Paulo, que o governo, juntamente com o Congresso Nacional, irá trabalhar no sentido de alocar R$ 2 bilhões à política de apoio à comercialização da safra agrícola, com o intuito de amenizar o efeito negativo esperado pela queda de preços das commodities agrícolas. Rodrigues afirmou que o País é o único entre os principais produtores do mundo que não conta com seguro rural para garantir a renda do setor. Por isso, o ministro defendeu a adoção desse mecanismo, que é importante nesses momentos de ciclo negativo no mercado, como ocorre atualmente. Em relação à revogação da exigência de inscrição no Sistema Brasileiro de Identificação de Origem Bovina e Bubalina (Sisbov) para animais que participam de feiras e exposições, Rodrigues afirmou que uma portaria deve ser divulgada hoje, alterando o artigo que estabelecia a exigência a partir de 1º de novembro. "Estamos atendendo uma reivindicação do setor", disse ele. Quanto ao embargo imposto à carne bovina brasileira pela Rússia, Roberto Rodrigues ressaltou que espera que o assunto seja resolvido antes da vinda do presidente russo, Vladimir Putin, ao Brasil, em novembro. "Todas as informações técnicas foram apresentadas às autoridades russas há três semanas. Não há razão para que o presidente russo não suspenda o embargo". Na entrevista coletiva, Rodrigues afirmou que o setor leiteiro tem de seguir três fundamentos básicos para aumentar a competitividade. O primeiro seria o ganho em escala, o segundo é o aprimoramento da parte técnica e o terceiro, a agregação de valor. "O Brasil está investindo nessa direção", disse. Ele concluiu que os problemas no setor leiteiro somente serão resolvidos por meio da organização das cooperativas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.