Rolls Royce deve anunciar novos investimentos no Brasil

Nova fábrica da empresa britânica no País será construída em Santa Cruz, zona oeste do Rio de Janeiro; valor inicial da unidade, que já foi superado, era de US$ 40 milhões

Alessandra Saraiva, da Agência Estado,

22 de junho de 2011 | 14h24

A Rolls Royce deve anunciar novos investimentos no País, segundo o presidente da empresa para América do Sul, Francisco Itzaina. Ele fez o comentário ao homologar construção de uma fábrica de turbinas para plataformas de petróleo nesta quarta-feira, 22, no Rio de Janeiro, que terá investimentos de US$ 60 milhões, com possibilidade de iniciar operações no terceiro trimestre do ano que vem. "Estamos pensando no País, temos outra soma de dinheiro semelhante a essa para ser aplicado no País para investimento", afirmou hoje, no Palácio das Laranjeiras, ao lado do governador em exercício, Luiz Fernando Pezão.

A nova unidade da Rolls Royce será construída em Santa Cruz, zona oeste do Rio. O executivo comentou que o valor inicial da unidade era em torno de US$ 40 milhões, mas este montante de investimentos cresceu após a empresa "agregar mais valor" à fábrica. Uma das ideias é preparar a unidade para não só atender a demanda interna por turbinas, mas também exportar para o mercado internacional. "Vamos montar todos os turbogeradores que sejam necessários no Brasil e talvez para exportação. Uma das possibilidades é deixar uma fábrica pronta para poder exportar", afirmou, acrescentando que o destino das vendas externas seria "para onde seja necessário". "Obviamente, logisticamente faz sentido exportar para a África, que tem reservatórios semelhantes e outras regiões das Américas", acrescentou.

Sobre o recente acordo da marca com a TAM, o executivo preferiu não se aprofundar no assunto, e apenas reiterou o que a empresa já havia divulgado. "Acabamos de anunciar o contrato de US$ 2,2 bi para fornecer todas as turbinas para a frota dos Airbus A350 da TAM, assim como todos os serviços. É passo muito importante para a gente", limitou-se a dizer.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.