Roubini alerta que Irlanda e Portugal ‘estão bem insolventes’

Para o economista 'do apocalipse', os políticos da zona do euro comprram 'tempo' com o pacote grego e podem 'ajeitar-se por mais cinco anos'

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

27 de julho de 2011 | 13h39

O economista norte-americano Nouriel Roubini disse que o novo pacote de resgate para a Grécia não colocará um fim à crise de dívida da zona do euro e alertou que a Irlanda e Portugal "estão também insolventes".

Em entrevista concedida ao jornal semanal alemão Die Zeit, Roubini alertou que "em alguns anos, o atual programa de ajuda financeira para Portugal irá falhar. O mesmo acontecerá para a Irlanda".

O novo pacote de socorro para a Grécia fechado pelos líderes europeus na semana passada irá, na melhor das hipóteses, comprar tempo, disse. Os políticos da zona do euro "podem ajeitar-se por mais cinco anos", mas no final ficarão diante de "decisões muito difíceis".

"Vejo uma chance de até 30% de a Grécia ou Portugal sair da zona do euro", disse Roubini, conhecido pelo alerta feito antes da crise financeira de 2008.

Sobre a perspectiva econômica global, o economista norte-americano disse "estar preocupado com a possibilidade de pouso forçado (na China) em dois ou três anos". O crescimento chinês é alimentado por pesados investimentos em infraestrutura e produção, que poderão criar "excesso de capacidade" e provocar "problemas de crédito", afirmou. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.