Ryanair desiste de plano de encomendar 200 aviões da Boeing

A companhia aérea irlandesa de baixo custo Ryanair encerrou suas negociações com a Boeing sobre um pedido de 200 aeronaves, depois de discordâncias de termos contratuais e devido à previsão de investir menos em 2011 e 2012. As ações da empresa reagiam em alta à notícia.

ANTONELLA CIANCIO, REUTERS

18 de dezembro de 2009 | 10h42

A Ryanair já afirmou anteriormente que era improvável um pedido de aeronaves Boeing 737-800 para entrega de 2013 a 2016, porque a fabricante norte-americana queria mudar as condições de entrega.

"A Ryanair deixou claro para a Boeing que não fará pedidos de aeronaves se acreditar que o preço ou outro termo contratual seja inferior àqueles que desfruta atualmente", afirmou o presidente-executivo da empresa aérea, Michael O'Leary.

As ações da Rynair subiam 5,12 por cento às 10h23 (horário de Brasília).

A companhia aérea disse que a interrupção das negociações não altera seus planos de receber 112 aeronaves entre 2010 e 2012.

O'Leary disse que apresentará planos para reduzir de forma significativa o crescimento e os investimentos para maximizar o caixa em benefício dos acionistas de 2012 a 2015.

"Não temos planos de retomar as negociações com a Boeing ou qualquer outra fabricante de aeronaves", disse o presidente. "Em vez disso, focaremos nossos esforços em manter o tráfego da Ryanair forte e em novas rotas de crescimento para 2010."

(Reportagem de Antonella Ciancio)

Tudo o que sabemos sobre:
AEREASRYANAIRBOEING*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.