REUTERS/Siphiwe Sibeko/Files
REUTERS/Siphiwe Sibeko/Files

SABMiller promete novo corte de custos para que investidores fiquem contra aquisição

Cervejaria tenta se defender de oferta de compra por US$ 100 bilhões feita pela rival AB InBev

Reuters

09 de outubro de 2015 | 14h39

LONDRES - A cervejaria SABMiller, tentando defender-se de uma oferta de compra não solicitada da rival Anheuser-Busch InBev, anunciou um plano de aceleração de corte de custos nesta sexta-feira, 9, em uma tentativa de convencer seus acionistas de que pode impulsionar sozinha seus resultados.

A fabricante de cervejas como Peroni, Grolsch e Pilsner Urquell disse que espera agora chegar a economias de custos anualizadas de ao menos US$ 1,05 bilhão até 2020. A meta anterior de seu programa de corte de custos, anunciado em maio de 2014, era de US$ 500 milhões até 2018.

"Continuamos a remover a duplicação nos mercados, levando expertise de especialistas em áreas como unificação de compras, e padronizando processos comuns", disse o presidente-executivo, Alan Clark. "Isso faz com que nossos mercados fiquem livres para se concentrar no que fazem melhor - aumentar a receita com consumidores e clientes locais."

A companhia disse que Clark se encontrará com investidores nesta sexta-feira. Ele tentará promover o potencial do negócio da SABMiller sozinha, ao mesmo tempo em que o presidente da AB InBev, o brasileiro Carlos Brito, pede que os investidores pressionem a SABMiller para as conversas de aquisição.

A SAB rejeitou a última oferta de US$ 100 bilhões da AB InBev, afirmando que esta "subvaloriza substancialmente" a companhia.

Mais conteúdo sobre:
AB InBev, SABMiller

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.