Safra 04/05: Conab faz levantamento por satélite de cana e citros

Ribeirão Preto, 11 - A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) iniciou neste mês os trabalhos para o levantamento da área plantada de cana-de-açúcar e de citros no Estado de São Paulo, por meio do projeto GeoSafras, sistema que usa imagens de satélite para a avaliação. Serão os primeiros levantamentos feitos pelo governo federal para cana e citros, cujos subprodutos estão entre os líderes na balança comercial do agronegócio brasileiro. Cana e citros serão as primeiras culturas cujas avaliações serão feitas exclusivamente por meio do GeoSafras. Até então, as previsões de áreas plantadas e de safra eram feitas para soja, milho e café por meio do levantamento em campo e também por satélite em algumas regiões. De acordo com o diretor de logística e gestão da Conab, Sílvio Porto, 65 técnicos da entidade e de outras parceiras no Estado de São Paulo foram capacitados para realizarem a parte inicial do levantamento dessas duas culturas, que consiste em um trabalho de campo. "Basicamente, os técnicos recebem imagens de satélite e visitam os pontos para saber se lá realmente existem, ou não, essas plantações. Cada técnico, com GPS, visita 100 pontos, seu relato é processado, é criada uma base de amostragem à qual é aplicada o modelo real para o levantamento", disse Porto. São Paulo concentra 90% da produção de citros e 60% da de cana-de-açúcar do País e até então todas as previsões eram feitas, pelos produtores, pelas indústrias ou pela Secretaria Estadual de Agricultura e Abastecimento. "No projeto GeoSafras, nós estamos trabalhando conjuntamente com mais de 20 organizações públicas e privadas. Isso é raro e dá muita credibilidade e qualidade ao resultado final", afirmou o diretor da Conab Os primeiros resultados do novo levantamento feito pelo projeto GeoSafras devem sair para os citros em janeiro de 2005, quando deverá ser divulgada, pela Conab, a área plantada com a cultura no Estado de São Paulo. A partir daí serão ponderados outros aspectos, como idade das plantas e as variedades cítricas cultivadas, que servirão, em um segundo levantamento, para determinar a produção e a produtividade no parque citrícola. "Além dos fatores idade e variedade, há outras variáveis, como, por exemplo, ação do clima em uma determinada época, que são colocados em uma equação para determinarem a produtividade", explicou o diretor da Conab. "Com isso, queremos acabar com a dicotomia dos números que ocorre hoje em São Paulo", completou. Já o levantamento da área plantada com cana-de-açúcar deve ser divulgado entre fevereiro e março, antes do início da safra 2005/2006 da cultura. "Para a cana, o levantamento é mais simples, pois a área plantada em São Paulo está praticamente limitada, ao contrário da de citros, que cresce rumo ao sul do Estado", disse Porto. Um encontro de técnicos do Brasil, Uruguai, Paraguai e Argentina, que deve ocorrer entre os dias 24 e 26 deste mês, pode selar a integração do Mercosul no projeto GeoSafras. O governo brasileiro pretende capacitar os técnicos dos países vizinhos para fazerem os levantamentos de área plantada e de safra do arroz irrigado e do trigo já para a safra 2004/2005. "Temos ainda a idéia de ampliar a previsão para a soja no Mercosul, mas para a safra 2005/2006. É um projeto ousado, ma acreditamos no sucesso", disse Sílvio Porto. Além da ampliação para o Mercosul e o início do levantamento de cana-de-açúcar e de citros, a Conab está aumentando a área já avaliada por meio de satélite para o café e para a soja e repetindo a avaliação já feita no Paraná para o milho. Na soja, principal cultura do país, o levantamento, realizado no Rio Grande do Sul e no Paraná, será estendido ao Mato Grosso e cobrirá mais de 60% da produção nacional do grão. "Já em relação ao café nós estamos ampliando para São Paulo o levantamento que já é feito em Minas Gerais e no Espírito Santo e chegando a 80% da produção do grão hoje no País", explicou Porto. Segundo ele, provavelmente entre 9 e 12 de dezembro será divulgada a primeira estimativa de área plantada de café já com o Estado de São Paulo incorporado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.