Safra 04/05: dólar e produtividade podem atenuar aumento de custos

Porto Alegre, 24 - O quadro pessimista gerado pelo aumento de custos da soja, milho e trigo poderá ser atenuado se a cotação do dólar reagir em relação ao real e houver uma melhora na produtividade da lavoura, analisou o presidente da FecoAgro, Rui Polidoro Pinto. "Estamos falando do início da safra", afirmou, embora ressaltando que considera a situação "muito preocupante". Um ritmo de aumento de custos semelhante ao atual já ocorreu no passado, na implantação do Plano Real, recordou o dirigente. Polidoro ressaltou um agravante: os recursos de financiamento continuam chegando tarde ao produtor. "O calendário da natureza não pode esperar", afirmou. Com isso, as cooperativas acabam adiantando financiamentos aos agricultores, enquanto eles aguardam a liberação de crédito oficial, mas muitas vezes os pedidos não são aprovados. Outro fator que poderia contribuir para atenuar o problema seria a melhora dos preços agrícolas. Os produtores ainda dispõem de cerca de 20% da safra de soja, mas preferem vender trigo, à espera de uma reação no preço da oleaginosa. "O produtor deixou passar um bom momento de comercialização", avaliou Polidoro. Para o trigo, há expectativa de anúncio da volta dos leilões de Prêmio de Escoamento da Produção (PEP), disse o dirigente. Os triticultores gaúchos precisarão vender 300 mil toneladas até março para saldar seus compromissos, projetou ele, já que a receita dos mecanismos de comercialização não chega imediatamente ao produtor. Polidoro disse que apenas 30 mil toneladas foram vendidas à vista até o momento. Os recursos das operações de Empréstimo do Governo Federal (EGFs) não chegaram ou encontraram as empresas já com a capacidade de endividamento esgotada, na avaliação do dirigente. (fim)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.