Alex Silva/ Estadão
Alex Silva/ Estadão

Safra amplia investimento em criação de conteúdo

Se antes o Safra focava mais nos clientes de alta renda, nos últimos tempos surgiram produtos voltados a abraçar outros públicos

André Jankavski, O Estado de S.Paulo

17 de janeiro de 2022 | 05h00

O Safra sempre foi conhecido como um dos bancos mais importantes do Brasil, mas também como um dos mais discretos quando o assunto é marketing. Porém, nos últimos anos, com o crescimento das fintechs e a expansão acelerada do número de bancarizados, a instituição passou a ser mais presente na área de publicidade, com o lançamento de novos produtos e serviços.

Se antes o Safra focava mais nos clientes de alta renda, nos últimos tempos surgiram produtos voltados a abraçar outros públicos: maquininhas de pagamento, contas digitais de abertura simplificada e até empréstimo com garantia do saque-aniversário do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS)

Obviamente, a alta renda não ficou para trás e, em 2021, surgiu o Safra High Net, área totalmente voltada para a gestão de patrimônio de clientes com ativos entre R$ 3 milhões e R$ 15 milhões.

Para mostrar todas essas novidades ao mercado, a instituição investiu alto na contratação de uma garota-propaganda. A atriz global Marina Ruy Barbosa se tornou a nova cara do Safra e a dona do bordão “Quem sabe, Safra”, apresentando serviços distintos a cada propaganda. Mas sempre lembrando dos valores de longa data – afinal a instituição está completando 180 anos de existência. 

“O mercado de mídia vive de ciclos e é preciso todo o tempo se reinventar”, afirma Eleno Mendonça, superintendente executivo de comunicação do Safra.

Mais clientes

Não por acaso, a empresa está apostando muito em conteúdo. Em um momento em que o número de investidores no País só cresce – a B3, por exemplo, alcançou 5 milhões de contas em renda variável no fim do ano passado –, o Safra quer ser lembrado por esses novatos, sem esquecer dos seus clientes mais antigos. 

Um dos cases do Safra nesse período foi feito em parceria com o Estadão Blue Studio: as lives “Cenários”. Apresentadas pela jornalista e colunista do Estadão Sônia Racy, o Cenários reúne alguns dos nomes mais importantes do PIB brasileiro, desde empresários do porte de Abilio Diniz, presidente do conselho de administração da Península Participações e ex-controlador do Grupo Pão de Açúcar, até economistas renomados como Persio Arida, ex-presidente do Banco Central, Maílson da Nóbrega, ex-ministro da Fazenda.

Essas conversas, segundo Mendonça, são fundamentais para que os clientes da instituição financeira consigam tomar as melhores decisões. “Entrevistamos grandes nomes da iniciativa privada, da economia e do governo para passar para os leitores de modo geral, e em especial aos nossos clientes e futuros clientes, visões diferentes sobre a conjuntura econômica e o dia a dia das empresas”, diz ele. No total, o programa já impactou mais de 50 milhões de pessoas.

Com ações como essa, o Safra está confiante que 2022 poderá apresentar um cenário melhor para o País, apesar da deterioração dos indicadores econômicos e das eleições no horizonte. Porém, mesmo se o otimismo não se confirmar, Mendonça diz que o time do banco estará atento. 

“O Safra é sempre muito otimista em relação ao Brasil e à economia, e nosso time de macroeconomia está sempre atento aos movimentos do mercado para oferecer a melhor análise para balizar os investimentos e negócios”, afirma. 

Tudo o que sabemos sobre:
Banco Safrabanco [sistema financeiro]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.