Santander e Itaú preveem expansão menor do crédito em 2011

Números representam queda em relação ao crescimento do ano passado; executivos das empresas acreditam que os dados são reflexo das medidas macroprudenciais do governo

Sabrina Valle, da Agência Estado,

30 de maio de 2011 | 14h40

O Santander prevê que a expansão do crédito ficará em 17% em 2011, enquanto o Itaú Unibanco estima um crescimento entre 16% e 20% no ano, mais para perto de 16% do que de 20%. As informações foram dadas durante o Investors Day, no Rio, pelo vice-presidente de Finanças e diretor-executivo de Relações com Investidores do Santander, Carlos Galan, e pelo vice-presidente executivo do Itaú Unibanco, Alfredo Setubal, respectivamente.

Os números representam uma queda em relação ao crescimento do crédito do ano passado, um reflexo das medidas macroprudenciais do governo, afirmaram os executivos. No ano passado, a alta no crédito foi de 22% no caso do Santander e de 21% no caso do Itaú Unibanco.

Os dois executivos disseram que o segmento de veículos foi um dos mais atingidos pelas medidas macroprudenciais. No caso do Itaú, a previsão é de que a expansão fique entre 5% e 8%, também mais para 5% do que para 8%, disse Setubal. "Este foi o grande impacto. E a demanda continua menor do que estaria se não houvesse essas medidas", afirmou Setubal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.