Se eleito, Serra diz que não haverá intervenção do BC no câmbio

Com relação às importações, Serra disse que pretende implantar uma defesa comercial

Rosana de Cassia, da Agência Estado,

22 de setembro de 2010 | 09h24

O candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, disse que, se eleito, não vai fazer nenhuma intervenção no Banco Central para resolver o problema do câmbio. "Nós temos um regime de responsabilidade fiscal, de metas de inflação de flexibilidade cambial, de flutuação e vamos manter esse regime. Ter uma equipe entrosada: Fazenda, Planejamento e Banco Central trabalhando junto, procurando uma relação cambio-juros, melhor do ponto de vista do emprego e da economia. Isso não vai ser feito bruscamente" garantiu Serra, em entrevista gravada ao programa Bom Dia Brasil, da TV Globo.

Com relação às importações, Serra disse que pretende implantar uma defesa comercial para evitar os abusos que ocorrem até hoje, desde o período de abertura da economia, no governo Collor. "Eles abriram e não cuidaram de defesa comercial, de alfândega", afirmou.

"Até hoje tem chinês vendendo sapato para o Brasil que vem dois ou três e uma caixa. Produto chinês entra pela metade do preço e paga por fora. E aí a mercadoria importada não paga imposto e a produção nacional paga. Isso não tem cabimento", criticou. "O governo reconheceu a China como economia de mercado, o que é um erro, ficamos mais amarrados ainda de práticas desleais de comércio. É nesse sentido que eu digo que a abertura foi mal feita. Você devia ter feito as duas coisas gradual e simultaneamente, aperfeiçoado ou criando mecanismos de defesa comercial". 

Tudo o que sabemos sobre:
SerraPSDBBanco Central

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.