Itaú Unibanco/Divulgação
Itaú Unibanco/Divulgação

‘Se o Pix leva a uma renúncia de receitas, faz parte’, diz presidente do Itaú

Milton Maluhy Filho informou que o banco trabalha em uma solução de empréstimo via Pix junto ao Banco Central; instituição conseguiu reduzir custos, manter investimentos em tecnologia e lucrar R$ 7,1 bilhões no quarto trimestre

Matheus Piovesana e Altamiro Silva Junior, O Estado de S.Paulo

11 de fevereiro de 2022 | 16h44

O presidente do Itaú Unibanco, Milton Maluhy Filho, disse não estar preocupado com a perda de receitas, como aquelas relacionadas ao avanço do Pix, que substitui gratuitamente operações antes pagas, como transferências monetárias por DOC e TED.

"Se o Pix leva a uma renúncia de receitas, faz parte, nós já renunciamos no ano passado, e o guidance (previsão) para 2022 já considera esse impacto", afirma. 

O banco ainda está em estágio inicial do desenvolvimento do crédito via Pix, produto que o banco protocolou na área especial de testes do Banco Central. Segundo Maluhy, novidades sobre o Pix devem surgir nos próximos meses. "O Pix veio para ficar. Não brigamos com o que é bom para o cliente", disse o presidente do Itaú Unibanco. 

A base de clientes do Itaú teve o maior crescimento dos últimos 10 anos em 2021, com importante impulso das contas 100% digitais. Na avaliação do executivo responsável pelo banco de varejo, André Rodrigues, o custo de aquisição de novos clientes é o menor da história da instituição, fato que atribui ao aumento da abertura de contas digitais e aos investimentos em tecnologia. No balanço do quarto trimestre de 2021, divulgado nesta quinta-feira, 10, o banco superou as expectativas do mercado e anunciou lucro de R$ 7,1 bilhões entre outubro e dezembro, e um total de R$ 26,9 bilhões no ano completo.

Alta nos juros

A elevação da taxa básica de juros, que saiu de 2% e caminha para superar 12% neste ano, tem impacto negativo da ordem de R$ 2 bilhões na margem financeira com o mercado do Itaú Unibanco, estima Maluhy.

Durante conferência com investidores e analistas nesta sexta-feira, 11, o banco informou que o crescimento das despesas previsto para este ano - de 3% a 7% - virá da expansão do investimento em tecnologia e novos negócios. Os custos para rodar a operação do banco não devem crescer, ficando estáveis este ano. "Fechamos o ano com 25% das plataformas modernizadas e devemos fechar 2022 com 50% das plataformas modernizadas", disse Maluhy, ao falar sobre a transformação digital. 

O Itaú Unibanco terminou 2021 com 14 mil pessoas na área de tecnologia, mas sem impacto relevante na estrutura de custos, pois o banco está ficando mais eficiente. O banco informou ainda que mais de 60% das vendas são feitas por canais digitais.

Na avaliação do banco, a taxa de inadimplência deve ter alta em 2022, mas pode se estabilizar mais para o final do ano. No quarto trimestre, a taxa de calotes já teve alta em linhas de pessoa física, indicando a tendência de avanço pela frente. O Itaú projeta contração de 0,5% no Produto Interno Bruto (PIB) em 2022.

Escritórios de investimentos

O Itaú Unibanco ganhou mercado no segmento private e também no mercado de investimentos para o varejo em 2021, de acordo com Maluhy. Ele disse que a rede de escritórios de assessoria do banco deve chegar a mais 20 cidades neste ano, com profissionais contratados do banco, e não agentes autônomos. "O nosso plano era abrir 90 escritórios em um formato parecido com o modelo de autônomos, estamos em 20 cidades e devemos expandir em mais 20, devemos ter 120, 130 escritórios", disse. 

O banco já tem 400 mil clientes no segmento. Hoje, o Itaú conta com um aplicativo próprio para investidores de varejo, o Íon, criado em 2021. Com a recente aquisição da corretora digital Ideal, o plano da instituição é conquistar novos escritórios de agentes autônomos.

Apesar dos esforços para ampliar sua presença no segmento de investimentos de pessoas físicas, o Itaú Unibanco ainda não definiu o que fará com a fatia adicional da XP Investimentos que comprará neste ano. O preço que será pago ainda está em negociação, e a expectativa é de que o negócio seja concluído em 30 ou 60 dias. Em 2020, o banco anunciou a segregação da fatia de 41% da XP que possuía, entregando-a diretamente a seus acionistas com a criação de uma nova empresa, depois fundida à própria XP. A cisão veio diante da competição entre o banco e a XP pela captação de investidores de varejo, impulsionadas por comerciais e ações de marketing de parte a parte.

Corte de custos

O Itaú Unibanco informou que conseguiu cortar custos sem sacrificar os investimentos do banco. Em 2021, o investimento em tecnologia subiu R$ 600 milhões em relação a 2020, e R$ 1,3 bilhão nas plataformas de negócios. Ao mesmo tempo, as despesas operacionais essenciais tiveram redução de R$ 1,6 bilhão. "Os custos devem permanecer absolutamente sob controle", disse Maluhy.

Por outro lado, o executivo ressaltou que o banco espera que 2022 seja um ano "pouco menos intenso" no crescimento do crédito do que foi em 2021.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.