SeaWorld quer levantar até US$ 100 milhões com IPO

A SeaWorld Entertainment, que opera os parques aquáticos da empresa de private-equity Blackstone Group, informou nesta quinta-feira que pretende realizar uma oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), com a qual pretende levantar até US$ 100 milhões.

ÁLVARO CAMPOS, Agencia Estado

27 de dezembro de 2012 | 12h22

Uma fonte com conhecimento do assunto disse à Dow Jones que a empresa contratou o Goldman Sachs e o JPMorgan para liderar a transação e estaria próxima de encaminhar a documentação necessária às autoridades reguladoras dos EUA.

A SeaWorld disse que pretende usar os recursos levantados com o IPO para pagar uma tarifa extraordinária à Blackstone, além de pagar dívidas. Em 30 de setembro, a companhia tinha cerca de US$ 1,83 bilhão em dívidas.

A cervejaria belga Anheuser-Busch InBev vendeu seus parques temáticos para a Blackstone em dezembro de 2009, por cerca de US$ 2,7 bilhões. As operações abrangiam 11 parques, incluindo o SeaWorld, o Busch Gardens e o Sesame Place.

A SeaWorld teve lucro de US$ 19,1 milhões em 2011, após uma alta de 11% na receita, que totalizou US$ 1,33 bilhão naquele ano. A companhia deve utilizar o símbolo SEAS quando entrar na bolsa. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
SeaWorldipo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.